Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Crise política

Edição impressa de 04/06/2019. Alterada em 04/06 às 03h00min

Premiê italiano ameaça renunciar

Conte deu ultimato após meses de polêmicas entre os partidos 5 Estrelas e Liga

Conte deu ultimato após meses de polêmicas entre os partidos 5 Estrelas e Liga


ALBERTO PIZZOLI/AFP/JC
O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, ameaçou ontem renunciar devido à série de brigas entre os dois partidos que formam a coalizão que governa o país. A alternativa, segundo ele, caso as discussões entre as legendas não terminem, seria a convocação de novas eleições.
O primeiro-ministro da Itália, Giuseppe Conte, ameaçou ontem renunciar devido à série de brigas entre os dois partidos que formam a coalizão que governa o país. A alternativa, segundo ele, caso as discussões entre as legendas não terminem, seria a convocação de novas eleições.
Conte convocou uma entrevista coletiva para fazer o ultimato após meses de polêmicas entre o antissistema Movimento 5 Estrelas e os ultradireitistas da Liga. "Eu não estou aqui apenas para sair à deriva", disse ele, na entrevista realizada em sua residência. "Se eles não assumirem claramente suas responsabilidades, como pedi... Então renunciarei."
A Liga e o Movimento 5 Estrelas vêm discordando de vários temas, desde grandes projetos de infraestrutura e questões relacionadas à imigração até o significado histórico dos feriados nacionais e quem é o culpado por um acidente de um cruzeiro em Veneza no fim de semana. O desentendimento se intensificou após as eleições ao Parlamento Europeu, no mês passado, quando a Liga conquistou 34% dos votos, superando o Movimento 5 Estrelas, com 17%, e aumentando as especulações de que o líder do partido, Matteo Salvini, poderia abandonar seus parceiros de coalizão.
"Temos que traçar o futuro do país, que é algo mais que agradar as multidões em lugares públicos ou conseguir 'likes' nas redes sociais", lamentou o premiê ao criticar indiretamente a política de Salvini, muito ativo nas redes sociais.
Conte afirmou a jornalistas que seu governo enfrentou um complexo processo orçamentário para 2020 e que o país precisa da confiança dos mercados financeiros. Durante o recente combate dentro do governo, investidores venderam títulos italianos, levantando preocupações sobre a capacidade de Roma de administrar suas enormes dívidas públicas de cerca de € 2,3 trilhões (US$ 2,6 trilhões). "Não devemos deixar que controvérsias estéreis e brigas inúteis desperdicem nossa preciosa energia ou nos desviem dos objetivos do governo", argumentou Conte.
A Itália enfrenta a possibilidade de processos disciplinares da União Europeia (UE) nesta semana devido a uma violação das regras fiscais do bloco, que Salvini diz serem desatualizadas e prejudiciais à economia da Itália. Conte disse que o governo deve respeitar as regras orçamentárias da UE até que elas sejam alteradas.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia