Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 22 de maio de 2019.
Dia do Apicultor.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Conjuntura Internacional

22/05/2019 - 09h59min. Alterada em 22/05 às 12h01min

Legislação sobre Brexit sai até sexta e quero votação na Câmara em junho, diz May

Primeira-ministra insistiu que é preciso respeitar a decisão do primeiro plebiscito pela saída do país do bloco

Primeira-ministra insistiu que é preciso respeitar a decisão do primeiro plebiscito pela saída do país do bloco


KIRSTY WIGGLESWORTH/AFP/JC
Estadão Conteúdo
A primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, foi ao Parlamento de seu país nesta quarta-feira (22) defender sua estratégia de apresentar uma nova versão do acordo de saída da União Europeia, o Brexit. Segundo ela, esse acordo será apresentado para discussão no Legislativo após o recesso da Câmara dos Comuns, que começa amanhã, com retorno previsto dos deputados ao trabalho para 4 de junho. A intenção do governo, segundo ela, é divulgar ao público essa legislação já nesta sexta-feira (24) e que a votação dos legisladores britânicos ocorra no início de junho.
May voltou a insistir que é preciso respeitar a decisão do primeiro plebiscito pela saída do país do bloco. "Temos a responsabilidade de entregar o Brexit à população", argumentou. Ela disse que não mudou sua opinião sobre um eventual segundo plebiscito.
Caso não seja aprovado o acordo fechado entre o governo e a UE, May disse que as alternativas serão uma saída sem acordo ou a decisão dos legisladores de que será preciso uma segunda votação popular sobre o tema. Ela disse que, pessoalmente, não concorda com um novo plebiscito, insistindo na necessidade de se respeitar o resultado do primeiro.
Legisladores questionavam a falta de mudanças nesta nova versão do acordo, a partir dos relatos de May. A oposição do Partido Trabalhista defende agora a saída da premiê do poder, afirmando que há pouco tempo para uma solução do impasse em relação ao Brexit.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia