Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 12 de dezembro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Estados Unidos

12/12/2018 - 17h41min. Alterada em 12/12 às 17h41min

Ex-advogado de Trump, Michael Cohen é condenado a três anos de prisão

Cohen disse que estava assumindo a responsabilidade por seus crimes

Cohen disse que estava assumindo a responsabilidade por seus crimes


TIMOTHY A. CLARY/AFP/JC
Estadão Conteúdo
Ex-advogado do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, Michael Cohen foi sentenciado nesta quarta-feira a três anos de prisão por um juiz em Nova Iorque. Cohen havia admitido a culpa por irregularidades como evasão tributária e duas violações das regras de financiamento de campanha.
Na semana passada, promotores federais em Manhattan disseram que Cohen agiu a mando de Trump para intermediar dois pagamentos ilegais para mulheres que teriam tido relacionamentos sexuais anteriormente com o presidente. Trump afirma que esses pagamentos não têm relação com a campanha e nega ter tido qualquer caso com as mulheres, a atriz de filmes adultos Stormy Daniels e a modelo e ex-coelhinha da Playboy Karen McDougal.
O presidente tem criticado Cohen pelo fato de que o advogado colaborava com promotores e o acusou de tentar buscar com isso uma sentença mais branda. Os promotores federais pediram uma pena de prisão "substancial" para Cohen, o que poderia levar a uma sentença de até 63 meses na cadeia.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia