Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sábado, 27 de outubro de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

estados unidos

27/10/2018 - 16h54min. Alterada em 27/10 às 16h54min

Tiroteio em sinagoga: confirmadas mortes e ao menos seis feridos

Agência Brasil
Várias pessoas morreram - o número exato ainda não foi informado - e pelo menos seis ficaram feridas, inclusive quatro policiais, durante o tiroteio de hoje (27) em uma sinagoga em Pittsburgh, na Pensilvânia, Estados Unidos.
A emissora de televisão NBC informou que um homem foi detido: Rob Bowers, de 46 anos, que entrou no templo armado com um fuzil semiautomático AR-15 e várias pistolas, segundo os relatos de várias testemunhas.
"Houve várias mortes e pelo menos seis pessoas ficaram feridas, entre elas quatro policiais", afirmou, em entrevista coletiva, o diretor do Serviço de Segurança de Pittsburgh, Wendell Hissrich. Hissrich disse que os agentes feridos não correm risco de morte, mas que outras vítimas estão em "estado grave" e foram transferidas para hospitais próximos.
O cálculo inicial é que o número de mortos pode oscilar entre quatro e oito. Hissrich confirmou que o suposto agressor está "sob custódia policial", mas não descartou o envolvimento de outras pessoas no crime. Em princípio, o suspeito permaneceu entrincheirado no templo e abriu fogo contra os agentes e os integrantes dos serviços médicos que compareceram ao local. O presidente Donald Trump, que falou com o prefeito de Pittsburgh, Bill Peduto, e com o governador da Pensilvânia, Tom Wolf, disse aos jornalistas que se trata de um crime "muito mais devastador" do que se temia inicialmente. Com informações da Agência EFE.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia