Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 26 de setembro de 2018.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Imigração

Edição impressa de 26/09/2018. Alterada em 26/09 às 01h00min

Populistas da Itália ampliam restrições a estrangeiros

A coalizão populista que governa a Itália decretou uma série de mudanças que tornam as normas de imigração mais restritivas. A iniciativa foi apresentada na segunda-feira pelo ministro do Interior, Matteo Salvini, líder da Liga, partido de extrema direita que divide o poder com o Movimento 5 Estrelas (M5S), antissistema. O texto adota medidas defendidas pelos ultraconservadores, como a anulação da nacionalidade italiana atribuída a imigrantes condenados por crimes.

A justificativa do governo é ampliar o rigor com estrangeiros que se tornam autores de delitos e crimes. Entre outras medidas, o Ministério do Interior agora restringirá a emissão de vistos humanitários, que, até aqui, eram atribuídos a 25% dos imigrantes que solicitavam refúgio. Pessoas consideradas "perigosas" ou que tenham sofrido condenações judiciais em primeira instância também terão o visto negado.

O acolhimento será alterado. Os estrangeiros serão deslocados para grandes centros, desmontando a política de distribuição dos imigrantes pelo país. Menores desacompanhados serão a exceção. O texto terá de passar pelo Parlamento, em até 60 dias. Como os dois partidos têm maioria no Legislativo, a homologação não deve enfrentar resistências.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia