Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

América Central

Edição impressa de 18/07/2018. Alterada em 18/07 às 01h00min

Governo lança ofensiva contra reduto da oposição na Nicarágua

Policiais e paramilitares lançaram ontem uma grande ofensiva contra a cidade de Masaya, principal bastião da onda de protestos contra o regime do presidente Daniel Ortega na Nicarágua. Moradores da cidade relataram disparos em diversos bairros.

"Forças antimotim e de choque assediam Monimbó (bairro de Masaya)! Que o governo da Nicarágua pare este massacre! Por favor, irmãos de Monimbó, salvem suas vidas!", escreveu, em uma rede social, o bispo auxiliar de Manágua, Silvio José Baéz.

No fim de semana, uma ofensiva na região deixou um saldo de pelo menos 10 mortos, sendo quatro deles policiais, segundo a Associação Nicaraguense Pró-Direitos Humanos. A ONG estima que ao menos 360 morreram durante os protestos, que já duram três meses.

As marchas começaram, inicialmente, contra a reforma da Previdência, que diminuía benefícios e aumentava contribuições. Diante das marchas, Ortega recuou, mas a repressão violenta alimentou mais manifestações, desta vez, exigindo a renúncia do presidente.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia