Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quinta-feira, 12 de julho de 2018.
Dia do Engenheiro Florestal.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Imigração

Notícia da edição impressa de 12/07/2018. Alterada em 12/07 às 01h00min

EUA usará tornozeleiras eletrônicas para liberar famílias de imigrantes

O governo norte-americano informou ontem que vai liberar centenas de famílias imigrantes, por meio do uso de tornozeleiras eletrônicas. A medida é uma tentativa de cumprir ordens judiciais recentes que ordenaram a reunião de pais e filhos separados após cruzarem ilegalmente a fronteira dos Estados Unidos com o México.

Até terça-feira, a Casa Branca precisava devolver 102 crianças com menos de cinco anos aos pais. Os menores estavam há semanas em abrigos mantidos pelo governo, que informou que só conseguiria cumprir a medida de forma parcial. A própria Justiça admitiu que parte delas não poderão ser reunidas imediatamente: alguns dos pais têm antecedentes criminais, outros continuam detidos em presídios e, em pelo menos um caso, os familiares ainda não foram localizados.

Um novo prazo expira no dia 26, quando todas as outras crianças separadas das famílias na fronteira - cerca de 2 mil - deveriam ser devolvidas aos pais. Autoridades de imigração informaram que estavam sem espaço nos centros de detenção e que não iriam conseguir manter as crianças e os adultos nesses locais. O governo também avalia usar bases militares para abrigar as famílias.

A liberação de imigrantes com o uso de tornozeleiras não é algo novo nos EUA, e já ocorria sob outras administrações. No entanto, o presidente Donald Trump é um grande crítico da prática, que apelidou de "prende e solta", e havia prometido eliminá-la em seu governo.

COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
ROBERTO AZMANN 12/07/2018 09h40min
De fato, a política de prende-solta, não é a mais indicada. O ideal para o povo americano, seria prende-deporta.