Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 06 de julho de 2018.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

relações internacionais

Alterada em 06/07 às 13h59min

Membros do acordo nuclear com Irã reafirmam implementação 'total e efetiva'

A alta representante da União Europeia para Relações Exteriores e Política de Segurança, Federica Mogherini, declarou nesta sexta-feira, após uma reunião na Áustria com ministros dos países que integram o acordo nuclear com o Irã - inclusive o chanceler do país persa, Javad Zarif -, que todos os signatários reafirmaram o compromisso com a "completa e efetiva implementação" das determinações do pacto.
Em sua conta no Twitter, Zarif destacou que todos os participantes da reunião estão "comprometidos a assegurar os benefícios do Irã" sob o acordo e que os EUA ficaram "isolados".
"(Estamos) indo na direção certa para (dar) passos concretos na implementação tempestiva dos compromissos (sob o acordo", escreveu o iraniano. "Reafirmamos direitos do Irã de responder a violações dos EUA se medidas remediadoras se provarem insuficientes."
Ao ler o comunicado elaborado conjuntamente pelos líderes para relações exteriores de União Europeia, China, França, Alemanha, Rússia, Reino Unido e Irã, Mogherini destacou o entendimento entre todos de que o JCPOA é um "elemento-chave da arquitetura global de não proliferação" de armas nucleares.
"Os participantes deram as boas vindas ao 11º relatório da Agência Internacional de Energia Atômica (IAEA, na sigla em inglês), em 24 de maio, que confirmou que o Irã está cumprindo seus compromissos", afirmou Mogherini. Os Estados representados na reunião reconheceram que, em contrapartida pela implementação pelo Irã de seus compromissos sob o acordo, a suspensão de sanções constitui uma "parte essencial" do JCPOA.
Os signatários do pacto nuclear, seguiu Mogherini, notaram também que agentes econômicos buscando negócios legítimos com o Irã vêm agindo de boa fé e com base nos compromissos contidos no JCPOA, "endossados no mais alto nível pelo Conselho de Segurança da ONU", acrescentou.
Por fim, a alta representante da UE apontou que os participantes da reunião "discutiram seus recentes esforços com vistas a oferecer soluções práticas como forma de manter a normalização do comércio e de relações econômicas com o Irã".
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia