Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 11 de junho de 2018.
Dia da Marinha Brasileira.

Jornal do Comércio

Internacional

COMENTAR | CORRIGIR

Europa

Notícia da edição impressa de 12/06/2018. Alterada em 11/06 às 23h50min

Após recusa italiana, Espanha se oferece para receber barco de imigrantes

Navio de resgate da SOS Mediterranee Aquarius não pôde atracar na Itália

Navio de resgate da SOS Mediterranee Aquarius não pôde atracar na Itália


SOS MEDITERRANEE/AFP/JC
A Espanha se ofereceu para receber o navio com mais de 600 imigrantes que estava à deriva depois que Itália e Malta se recusaram a recebê-lo. O impasse tinha deixado os imigrantes encalhados no mar e revelou as táticas de negociação do novo governo anti-imigração da Itália. O ministro do Interior, Matteo Salvini, disse, pelo Twitter, que "salvar vidas é um dever, mas transformar a Itália em um enorme campo de refugiados não é". "Estamos fechando as portas", completou.
Itália e Malta imediatamente agradeceram ao novo primeiro-ministro da Espanha, o socialista Pedro Sánchez, por receber o navio de resgate da SOS Mediterranee Aquarius no porto de Valencia. Mas não ficou claro se tal viagem era viável, tendo em vista as distâncias envolvidas.
A agência de refugiados da ONU, a União Europeia, a Alemanha e grupos humanitários exigiram que os países do Mediterrâneo colocassem sua política interna de lado e considerassem com urgência a situação dos imigrantes resgatados, que inclui crianças, mulheres grávidas e pessoas que sofrem de hipotermia.
 
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia