Porto Alegre, sábado, 21 de maio de 2022.
Dia Mundial do Desenvolvimento Cultural.
Porto Alegre,
sábado, 21 de maio de 2022.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Mobilidade urbana

- Publicada em 21/05/2022 às 08h50min.

Mesmo com redução nos assaltos no transporte coletivo de Porto Alegre, passageiros ainda se sentem inseguros

Entre janeiro e março de 2021, foram registrados 30 assaltos em ônibus em Porto Alegre

Entre janeiro e março de 2021, foram registrados 30 assaltos em ônibus em Porto Alegre


LUIZA PRADO/JC
Fabrine Bartz
Ônibus lotados, com poucos horários e sentimento de insegurança. É assim que os passageiros de Porto Alegre encontram o transporte coletivo na hora de sair ou voltar para casa, mesmo com a queda de 33% no número de assaltos a ônibus em 2022. Neste ano, entre janeiro e março, foram 20 ocorrências - em comparação com o mesmo período de 2021, quando ocorreram 30. Os dados, dos consórcios e da Carris, foram divulgados na reunião do Fórum do Transporte Seguro, em abril.
Ônibus lotados, com poucos horários e sentimento de insegurança. É assim que os passageiros de Porto Alegre encontram o transporte coletivo na hora de sair ou voltar para casa, mesmo com a queda de 33% no número de assaltos a ônibus em 2022. Neste ano, entre janeiro e março, foram 20 ocorrências - em comparação com o mesmo período de 2021, quando ocorreram 30. Os dados, dos consórcios e da Carris, foram divulgados na reunião do Fórum do Transporte Seguro, em abril.
Contar com a sorte deixou de ser uma exceção e passou a ser uma realidade que mascara os números contabilizados. Embora, de fato, haja uma redução em assaltos, tanto quem aguarda o ônibus por mais de meia hora nas paradas ou quem permanece dentro do transporte coletivo em viagens curtas e longas, permanece com medo.
“O ônibus está sempre cheio e desorganizado, não tem ninguém para garantir a segurança”, relata o frentista Lucas Martins, de 22 anos. “Não tem segurança, na verdade. A segurança que tem é dar a sorte de ter algum brigadiano no ônibus ou alguém mal encarado que as pessoas conhecem, mas não tem segurança nenhuma, tanto para os motoristas quanto para os passageiros”, acrescenta.
Após três anos buscando o aumento da segurança de passageiros em 2019, a Força-Tarefa de Combate a Roubos em Transporte Coletivo de Porto Alegre passou a ser a Delegacia de Polícia Especializada de Repressão a Roubos em Transporte Coletivo (DRTC), sendo a primeira deste tipo no País.
No primeiro ano, ainda como força-tarefa, foram registradas 364 ocorrências em janeiro. Em 2019, no mesmo período, o número caiu para 83 - uma redução de 77,1%. Já no comparativo de fevereiro, o índice de queda é ainda maior, chegando a 79,5% entre 2016 (298 casos) e 2019 (61 ocorrências).
“O programa já tem um tempo que é realizado junto com a Empresa Pública de Transporte e Circulação de Porto Alegre (EPTC), com a secretaria de Segurança Pública, com a Guarda Municipal e com a Brigada Militar. Uma força tarefa que tem reduzido os índices em linhas históricas e mudaram o perfil”, explica o secretário de Mobilidade Urbana, Adão de Castro Júnior.
O trabalho integrado trouxe um grande ganho para o transporte e seus passageiros, pois, no momento que se conseguiu diminuir o número de assaltos, houve maior segurança para a população, segundo o diretor de operações da ETPC, Cirilo Faé. Mas, essa não é a realidade encontrada pela funcionária Franciele Silva de Almeida, de 31 anos. Todos os dias, Franciele utiliza o transporte público para ir e voltar da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (Pucrs). “É uma situação bem complicada. Tem a questão de que o cobrador e o motorista não podem se meter, então acaba ficando bem difícil”.

Câmeras de segurança auxiliam na redução de assaltos a ônibus

A implementação do GPS em toda a frota e as câmeras de reconhecimento facial foram algumas das medidas para qualificação do transporte coletivo, recuperação gradual do número de usuários e avanço na área de segurança pública. Conforme a EPTC, a redução do número de assaltos a ônibus é drástica, mas esse resultado é a soma de esforços, onde se incluem também as câmeras de segurança.
Prevista pelo Decreto 19.836/17, a implementação do reconhecimento facial no Sistema de Bilhetagem (SBE), junto com a instalação de equipamentos e serviços de posicionamento global (GPS) e de câmeras de segurança (CFTV) do Sistema de Supervisão e Controle Operacional e do Serviço de Informação ao usuário (SIU), levam em consideração a segurança dos usuários do transporte coletivo por ônibus, além de minimizar a ocorrência de fraudes na utilização de gratuidades.
“Primeiramente, destacamos que as câmeras nos ônibus auxiliaram e auxiliam até o presente momento. Porém, o que mais verificamos, além da nossa investigação, foi uma mudança de conduta na relação com as vítimas”, ressalta o delegado da DRTC, Daniel Mendelski.
De acordo com ele, tanto as tripulações dos ônibus quanto as pessoas que são vítimas de roubo, passaram a ter mais confiança no trabalho exercido pela delegacia, a partir de resultados e do trabalho de acolhimento. “Essas pessoas ficaram mais confiantes de vir até a delegacia e esclarecer o que, de fato, aconteceu com elas. Olhar em um álbum de fotos de suspeitos e fazer um reconhecimento na filmagem do roubo a ônibus e depois fazer um reconhecimento de forma pessoal, verificando a prisão em flagrante e condenação desses indivíduos, é um dos maiores resultados que nós temos”, complementa.
Além disso, um dos pontos que contribui para o controle de furtos dentro de ônibus é o boletim de ocorrência, embora não seja obrigatório ser realizado logo após o delito. De acordo com Mendelski, a ocorrência realizada de forma presencial ajuda na repressão direta ao roubo no transporte coletivo.

Em Porto Alegre, 20% das linhas já estão sem cobradores

Sancionada em 23 de novembro de 2021, a Lei nº 12.910 institui o programa de extinção gradativa da função de cobrador de ônibus com o objetivo de contribuir para redução dos custos da tarifa, além de modernizar o sistema de transporte coletivo da Capital.
Com prazo final até 2025, atualmente 20% das 249 linhas de Porto Alegre estão sem cobradores, segundo o secretário de Mobilidade Urbana. O processo de retirada desses profissionais abrange todo Brasil e programas de realocação dos cobradores para outras áreas foram criados. “À medida que ampliamos as tecnologias, as formas de pagamento como, por exemplo, Pix, QR code e cartão, a profissão acaba em desuso. Não vejo nenhum problema, claro que é uma transição, talvez nesse momento tenha reclamação, mas é tudo questão de hábito”, diz.
Dentro do programa Mais Transporte, a secretaria de Mobilidade Urbana permitiu a retirada dos cobradores nas linhas durante a madrugada.

Linhas de ônibus sem cobradores até 19 de maio

  • C1 – Circular Centro;
  • C5 – Circular 4 Distrito/Moinhos de Vento;
  • 255 – Caldre Fião;
  • 3762 – Herdeiros/Esmeralda/A Carvalho/Alimentadora;
  • A348 – Alimentadora Jardim Bento Gonçalves;
  • A360 – Alimentadora IPE;
  • 620 – Iguatemi/Vila Jardim;
  • 654 – Educandário Petrópolis;
  • 7052 – Aeroporto/Ceasa;
  • 188 – Assunção;
  • 2633 – João Pessoa/Orfanotrófio;
  • A74 – Alimentadora Canta Galo/Lami/Extrema;
  • A69 – Alimentadora Canta Galo/Lami /B. Novo;
  • C3 – Circular Urca;
  • 345 – Santa Catarina;
  • 473 – Jardim Carvalho/Jardim do Salso;
  • SD72 – Santa Rosa/Anchieta Semidireto;
  • 251 – Alpes; 
  • 274 – Gloria/Azenha/Cascatinha;
  • 2741 – Gloria/Cascatinha/Azenha;
  • O627 – Orla Agostinho;
  • O662 – Orla Rubem Berta;
  • O491 – Orla/Passo Dorneles;
  • O398 – Orla/Pinheiro; 
  • O171 – Orla Ponta Grossa/Serraria;
  • O210 – Orla Restinga Nova;
  • 347 – Alameda;
  • 4382 – Santana Jardim Botânico;
  • 492 – Petrópolis SESC;
  • 439 – São Manoel;
  • 476 – Petrópolis PUC;
  • 1493 – Icaraí Menino Deus;
  • 189 – Padre Réus Liberal;
  • 250 – 1º de Maio;
  • 617 – Iguatemi;
  • 6333 – Costa e Silva Leão;
  • 652 – Hospital;
  • A135 – Alimentadora Elisabeth Sarandi Triângulo;
  • A21 – Alimentadora Nova Gleba Santa Rosa;
  • A24 – Alimentadora São Borja Triângulo;
  • A25 – Alimentadora A. Feijó Triângulo;
  • A27 – Alimentadora Agostinho;
  • A31 – Alimentadora Parque dos Maias;
  • A33 – Alimentadora Costa e Silva Triângulo;
  • A60 – Alimentadora Triângulo;
  • A62 – Alimentadora Wenceslau Fontoura;
  • A621 – Alimentadora Wenceslau Fontoura Escolar;
  • C2 – Circular Praça XV;
  • C22 – Circular Praça XV Orla;
  • M98 – Noturna Pinheiro;
  • M10 – Restinga Nova via Velha/5º Unidade/Noturna;
  • M68 – Noturna Belém Novo;
  • M79 – Madrugadão Serraria Ponta Grossa;
  • M21 – Corujão Baltazar Assis Brasil;
  • M31 – Corujão Assis Brasil Baltazar;
  • M52 – Corujão Assis Brasil Protásio;
  • 653 – Itu Coinma/Av. do Forte;
  • A09 – Alimentadora Restinga Nova/Restinga Velha;
  • A288 – Morro Alto/D. Castilhos/Imperial Parque;
  • A18 – Alimentadora Chácara do Banco/Noite;
  • A85 – Alimentadora Nonoai;
  • A11 – Alimentadora Chácara do Banco.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário