Porto Alegre, quinta-feira, 04 de novembro de 2021.
Dia do Inventor.
Porto Alegre,
quinta-feira, 04 de novembro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Transportes

- Publicada em 04/11/2021 às 08h48min.

Furto de cabos da Trensurb é alvo de operação da Polícia Federal

Investigação e a deflagração da Operação 6.6kV apura casos no Vale dos Sinos

Investigação e a deflagração da Operação 6.6kV apura casos no Vale dos Sinos


POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO/JC
Quem depende da Trensurb para se locomover tem vivido uma cena repetida: o atraso do metrô em função do furto de cabos, crime que já causou prejuízo de estimado de R$ 770 mil para a empresa pública de transporte somente entre janeiro e agosto neste ano. 
Quem depende da Trensurb para se locomover tem vivido uma cena repetida: o atraso do metrô em função do furto de cabos, crime que já causou prejuízo de estimado de R$ 770 mil para a empresa pública de transporte somente entre janeiro e agosto neste ano. 
Nesses oitos meses, foram mais de 60 ocorrências, um aumento de 190% em relação ao mesmo período de 2020. Além dos cabos, objetos de sinalização também têm sido alvo dos criminosos. A situação levou a Polícia Federal a deflagrar, na manhã desta quinta-feira (4), a Operação 6.6kV, com o objetivo de reprimir os furtos na região do Vale dos Sinos.
Os policiais federais cumprem quatro mandados de busca e apreensão em São Leopoldo, vinculados a pontos comerciais identificados como receptadores dos materiais furtados da Trensurb e que, depois, revendem os objetos na região.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/11/04/206x137/1_whatsapp_image_2021_11_04_at_07_33_02-9461608.jpeg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'6183c6fcde0e1', 'cd_midia':9461608, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/11/04/whatsapp_image_2021_11_04_at_07_33_02-9461608.jpeg', 'ds_midia': 'Investigação e a deflagração da Operação 6.6kV pela Polícia Federal contam com o apoio da Trensurb para coibir furto de cabos', 'ds_midia_credi': 'POLÍCIA FEDERAL/DIVULGAÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Investigação e a deflagração da Operação 6.6kV pela Polícia Federal contam com o apoio da Trensurb para coibir furto de cabos', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '450', 'align': 'Left'}
Investigação apura receptação de materiais furtados para venda posterior. Polícia Federal/Divulgação/JC
A investigação teve início em setembro e identificou ao menos três possíveis receptadores de materiais subtraídos da Trensurb. O furto é executado, geralmente, por usuários de drogas. Os receptadores são indicados como fomentadores da prática criminosa e há indícios de que também realizem o repasse de drogas aos responsáveis pelos furtos.
A Polícia Federal destaca que, além da perda patrimonial e da paralisação do transporte público, as subtrações constantes também causam risco de acidentes na linha férrea.
O aumento expressivo de ocorrências, segundo a PF, é indicativo de que o número de casos tenha relação com a valorização do metal cobre, principal matéria-prima encontrada nos cabos de energia do sistema.
O nome da operação é uma referência ao modelo do principal cabo de energia encontrado na linha férrea (‘6.6kV’), que possui alta quantidade de cobre em sua composição, sendo o bem mais visado pelos criminosos que invadem os trilhos. A investigação e a deflagração da Operação 6.6kV contam com o apoio da Trensurb.
Conteúdo Publicitário
Comentários CORRIGIR TEXTO
Conteúdo Publicitário