Porto Alegre, segunda-feira, 05 de abril de 2021.
Dia dos Fabricantes de Materiais de Construção.
Porto Alegre,
segunda-feira, 05 de abril de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 13h55min, 05/04/2021.

Porto Alegre tem 146 pacientes na lista de espera por UTI

Em 11 dias, cidade teve redução de 110 pessoas internadas em leitos intensivos por Covid-19

Em 11 dias, cidade teve redução de 110 pessoas internadas em leitos intensivos por Covid-19


SILVIO AVILA/HCPA/DIVULGAÇÃO/JC
Juliano Tatsch
Os números da pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Sul e, mais especificamente, em Porto Alegre, continuam muito altos. Nesta segunda-feira (5), o percentual de ocupação dos leitos em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) na Capital é de 103,47%. O índice, porém, é inferior aos 107,76% registrados no último dia do mês de março, apontando para um indicativo de melhora do cenário, ainda que em ritmo lento.
Os números da pandemia do novo coronavírus no Rio Grande do Sul e, mais especificamente, em Porto Alegre, continuam muito altos. Nesta segunda-feira (5), o percentual de ocupação dos leitos em Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs) na Capital é de 103,47%. O índice, porém, é inferior aos 107,76% registrados no último dia do mês de março, apontando para um indicativo de melhora do cenário, ainda que em ritmo lento.
A Capital tem, atualmente, 1.020 leitos intensivos operacionais, ou seja, em funcionamento. O total de pacientes internados em UTIs na cidade, no entanto, é superior a esse número, batendo em 1.044 pessoas nesta segunda-feira. Destes, 764 (73,1%) possuem o diagnóstico confirmado para o novo coronavírus.
O quadro de superlotação acaba por resultar em uma permanente lista de espera de pacientes em condições graves de saúde por uma vaga em UTI em Porto Alegre. No momento, são 136 pacientes em leitos adaptados em Emergências hospitalares aguardando uma vaga em uma Unidade de Tratamento Intensivo.
Além disso, outros 10 pacientes estão internados em Pronto-Atendimentos na cidade esperando a abertura de uma vaga em uma UTI hospitalar para serem transferidos. São três pacientes no Postão da Cruzeiro do Sul, dois no Pronto Atendimento da Lomba do Pinheiro e outros cinco na UPA Moacyr Scliar.
Apesar de ser um indicador muito alto - 146 pacientes aguardando um leito intensivo em um hospital de Porto Alegre -, o número registrado neste dia 5 de abril é inferior ao do dia 31 de março, quando eram 176 pessoas na espera da abertura de uma vaga em UTI na cidade (165 em Emergências hospitalares e 11 em pronto-atendimentos). A redução de 30 pessoas na lista de espera (queda de 17,05%) em cinco dias é uma boa notícia, mas a presença de 146 ainda no aguardo segue pressionando o sistema de saúde.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/04/05/206x137/1_lista_de_espera-9283484.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'606b3bc7415ac', 'cd_midia':9283484, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2021/04/05/lista_de_espera-9283484.jpg', 'ds_midia': 'Pacientes em Emergência hospitalar esperando vaga em UTI em POA', 'ds_midia_credi': 'Arte/JC', 'ds_midia_titlo': 'Pacientes em Emergência hospitalar esperando vaga em UTI em POA', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '618', 'align': 'Left'}
Sete dos 18 hospitais de Porto Alegre estão com lotação igual ou superior a 100% (Conceição, Moinhos de Vento, São Lucas, Ernesto Dornelles, Cristo Redentor, Restinga e Santa Ana). A melhora no quadro, observada na redução da lista de espera por leito de UTI, é reforçada também pela diminuição no número de pacientes hospitalizados em leitos intensivos com confirmação de infecção peça Covid-19.
No dia 25 de março, a capital atingiu o pico de pessoas internadas com a doença em UTIs. Naquela data, era 870 pessoas em leitos intensivos na cidade. Onze dias depois, o número caiu para 760. As 110 pessoas a menos representam uma redução de 12,65%.
Soma-se a isso os primeiros impactos da vacinação - que já atingiu 256.915 pessoas com a primeira dose e 75.501 com a segunda dose - e o cenário dos próximos dias e semanas aponta para um quadro melhor na Capital.
Comentários CORRIGIR TEXTO