Porto Alegre, quinta-feira, 18 de março de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 18 de março de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

urbanismo

- Publicada em 19h35min, 18/03/2021. Atualizada em 19h39min, 18/03/2021.

Deferida recuperação judicial de urbanizadora de Caxias do Sul

Rodobrás tem 47 anos de atuação na implantação de loteamentos urbanos

Rodobrás tem 47 anos de atuação na implantação de loteamentos urbanos


Foto Google Maps/ Divulgação/ JC
Roberto Hunoff, de Caxias do Sul
A juíza da 1ª Vara Cível da Comarca de Caxias do Sul, Chistiane Tagliani Marques, deferiu nesta semana o pedido de recuperação judicial, encaminhado em 22 de janeiro pela Empresa Urbanizadora Rodobrás, que desde 1974 atua na implantação de loteamentos urbanos. De acordo com a advogada Aline Babetzki, a empresa apresentará em juízo que tem as condições necessárias para se restabelecer no mercado. "Com o deferimento do processo, temos 60 dias para a apresentação do plano de recuperação judicial”, informou.
A juíza da 1ª Vara Cível da Comarca de Caxias do Sul, Chistiane Tagliani Marques, deferiu nesta semana o pedido de recuperação judicial, encaminhado em 22 de janeiro pela Empresa Urbanizadora Rodobrás, que desde 1974 atua na implantação de loteamentos urbanos. De acordo com a advogada Aline Babetzki, a empresa apresentará em juízo que tem as condições necessárias para se restabelecer no mercado. "Com o deferimento do processo, temos 60 dias para a apresentação do plano de recuperação judicial”, informou.
Com o deferimento, ficam suspensas todas as ações e execuções contra a empresa e os créditos arrolados na recuperação judicial serão pagos dentro do plano a ser apresentado. Também estão suspensos leilões e demais tipos de constrições sobre os bens da empresa.
O total da dívida da empresa é estimado em R$ 50 milhões, somando 177 credores. O maior valor está concentrado na classe de credores bancários. Em ativos, a empresa acumula em torno de R$ 100 milhões. Atualmente, a gestão é exercida por Flávio Bonetto, genro do fundador, que já há algum tempo atuava na companhia. Para apurar os recursos necessários para quitação das dívidas, a empresa trabalhará, principalmente, na venda de novos lotes. Para tanto, aguarda a liberação de licenças.
Estimativas são de que a empresa é responsável pelo loteamento de 25% do solo urbano de Caxias do Sul, o equivalente a cerca de 30 mil terrenos. Também tem presença em vários municípios gaúchos. O fundador e presidente da empresa, Ovídio Deitos, que foi vereador e presidente da Festa da Festa, faleceu há pouco mais de uma semana.
Comentários CORRIGIR TEXTO