Porto Alegre, sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021.
Dia do Esportista.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 19 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

EDUCAÇÃO

- Publicada em 18h05min, 19/02/2021. Atualizada em 18h27min, 19/02/2021.

Servidores da educação de Porto Alegre denunciam falta de segurança sanitária para o retorno presencial

Aulas na rede municipal de ensino iniciam na próxima segunda-feira

Aulas na rede municipal de ensino iniciam na próxima segunda-feira


COLÉGIOAMERICANO/DIVULGAÇÃO/JC
Fernanda Crancio
Prestes a retomar as aulas presenciais na rede municipal de ensino, a partir da próxima segunda-feira (22), servidores da educação de Porto Alegre denunciam a falta de condições sanitárias das escolas da rede para adequação aos protocolos de enfrentamento à Covid-19. Os municipários criticam a falta de funcionários para os serviços de limpeza nas salas e refeitórios e temem pela segurança de professores e da comunidade escolar.
Prestes a retomar as aulas presenciais na rede municipal de ensino, a partir da próxima segunda-feira (22), servidores da educação de Porto Alegre denunciam a falta de condições sanitárias das escolas da rede para adequação aos protocolos de enfrentamento à Covid-19. Os municipários criticam a falta de funcionários para os serviços de limpeza nas salas e refeitórios e temem pela segurança de professores e da comunidade escolar.
Nesta sexta-feira (19), por meio de nota, a Associação de Trabalhadores em Educação do Município de Porto Alegre (Atempa) atentou para a impossibilidade de higienização adequada das escolas municipais. Segundo o texto, os funcionários se preparam para a "forçada retomada do trabalho presencial nas escolas municipais de Porto Alegre, sem a necessária sanitização dos espaços". O grupo também reivindica à prefeitura um "plano coerente e muita dedicação para que a volta às aulas não represente risco às milhares de vidas envolvidas, e não provoque a intensificação da proliferação do vírus nas comunidades que atendemos".
Segundo Marcus Vianna, diretor da Atempa, algumas direções de escolas reivindicaram mais tempo para realizar a higienização adequada ao retorno das aulas, mas não foram atendidos pelo município. Ele destaca ainda o desmonte das equipes de trabalhadores da área da limpeza - o contrato da empresa tercerizada para o serviço havia vencido em 15 de dezembro -, e diz que apenas nesta sexta-feira (19), a três dias do retorno das atividades presenciais, foi retomado o contato das escolas com servidores da limpeza e planejado um mutirão e limpeza para este final de semana. "Improviso sem limites e irresponsável num cenário que exige rigor, ciência e protocolos. Denunciamos o chamado mutirão de limpeza anunciado através das redes sociais por vereadora de Porto Alegre. Precisamos do máximo rigor, treinamento e protocolos sanitários, inclusive para a limpeza das escolas, que deve ser constante! A negligência anunciada em relação à limpeza das escolas é gravemente contrária ao combate à pandemia", complementa a nota.
A direção do Sindicato dos Municipários (Simpa), que na quinta-feira (18) participou de reunião da Comissão de Educação, Cultura, Esporte e Juventude (Cece) da Câmara de Porto Alegre sobre o tema, reforça ser imprescindível que a prefeitura garanta a segurança sanitária da comunidade escolar e afirma que as aulas não deveriam ocorrer nas escolas que não apresentarem condições para isso.
Para a diretora do Simpa, Cindi Sandri, diante do atual cenário da pandemia na Capital o momento é impróprio para o retorno das aulas. "A condição de limpeza e higienização das escolas é só um dos pontos que nos preocupa, há uma falta de segurança sanitária para esse retorno. A escola existe na condição de aglomeração, não é possível imaginar que as condições de distanciamento vão se dar nas escolas de forma segura", complementa.
A Secretaria Municipal de Educação (Smed) se manifestou sobre as críticas dos municipários por meio de nota: "A Secretaria Municipal de Educação estranha a manifestação, já que, durante todo o dia de hoje, foram feitos contatos com dezenas de escolas, oferecendo mutirão de pessoas (vereadores e secretariado, além de servidores voluntários) para ajudar na limpeza das escolas e todas as escolas contatadas disseram que isso não era necessário".
Na segunda-feira, representantes dos municipários irão monitorar as escolas para acompanhar e avaliar o retorno às aulas. O calendário escolar da rede municipal de ensino de Porto Alegre foi anunciado pela secretária de Educação, Janaina Audino, no dia 5 de janeiro, dando prioridade ao retorno presencial daqueles alunos que estiveram afastados da escola durante a pandemia. As aulas referentes ao ano letivo de 2020 foram encerradas em 8 de janeiro.
Comentários CORRIGIR TEXTO