Porto Alegre, quarta-feira, 03 de fevereiro de 2021.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 03 de fevereiro de 2021.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Clima

- Publicada em 10h03min, 03/02/2021. Atualizada em 14h39min, 03/02/2021.

Ciclone pode se formar sobre o Rio Grande do Sul gerando temporais e vendavais

MetSul Meteorologia alerta para formação de um ciclone próximo ao Rio Grande do Sul

MetSul Meteorologia alerta para formação de um ciclone próximo ao Rio Grande do Sul


METSUL/DIVULGAÇÃO/JC
O Rio Grande do Sul está sob alerta devido à formação de um ciclone que se aproxima. A Metsul Meteorologia aponta que o fenômeno pode atingir o Sudeste do Rio Grande do Sul e o Leste do Uruguai nesta quarta-feira (3) e quinta-feira (4). Chuvas devem ocorrer nesta quarta-feira.
O Rio Grande do Sul está sob alerta devido à formação de um ciclone que se aproxima. A Metsul Meteorologia aponta que o fenômeno pode atingir o Sudeste do Rio Grande do Sul e o Leste do Uruguai nesta quarta-feira (3) e quinta-feira (4). Chuvas devem ocorrer nesta quarta-feira.
De acordo com meteorologista Estael Sias, da MetSul, o fenômeno climático pode ocasionar chuva forte e localizada, temporais isolados com risco de vendavais e rajadas de vento ciclônico de grande intensidade em alto mar e muito fortes em pontos das costas do Uruguai e do Rio Grande do Sul.
De acordo com Estael, o ciclone e a frente fria derivada do sistema vão mexer com o tempo em todo o Centro-Sul do Brasil durante esta segunda metade da semana, trazendo primeiro chuva e temporais e, na sequência, queda de temperatura e um alívio na sequência de dias de muito calor.
“Nesta quarta-feira, um centro de baixa pressão vai avançar do Norte da Argentina para o Rio Grande do Sul e o Uruguai, aumentando muito a instabilidade sobre o território gaúcho no decorrer do dia e iniciando um processo de ciclogênese (formação de um ciclone)”, informa.
Ainda de acordo com Estael, a instabilidade pode atingir todo o Rio Grande do Sul nesta quarta-feira e a chuva deve ser irregular e por vezes torrenciais. “Ao interagir com o ar tropical, a área de baixa pressão sobre o território gaúcho vai gerar grandes nuvens de desenvolvimento vertical, típicas de tempestade, capazes de provocar temporais localizados em que há risco de granizo isolado e, especialmente, vendavais em alguns pontos. Alguns temporais podem ser de forte intensidade e causar transtornos e/ou danos à população”, acrescenta.
A meteorologista diz que na quinta-feira, a baixa pressão já estará sobre o Atlântico como um ciclone extratropical junto ao Sudeste do Rio Grande do Sul e o Leste do Uruguai e experimentará uma intensificação muito rápida e incomum de se observar em latitudes médias nesta época do ano em situação completamente atípica para fevereiro em nossa região.
Segundo a meteorologista, os dados mais recentes, da madrugada desta quarta-feira, convergem em indicar a possibilidade de uma ciclogênese explosiva durante a quinta-feira, ou seja, é quanto a pressão atmosférica cai muito rapidamente.
“Isto é incomum para ocorrer nesta época e também não é incomum a formação de um ciclone na latitude em que ele está se formando”, explica. Ela acrescenta que até ontem, poucos modelos sinalizavam esta tendência. Agora, há um razoável consenso no pacote de modelagem numérica que o sistema adquirirá características de bomba meteorológica com uma intensificação muito rápida.
Defesa Civil também emite um alerta para instabilidade climática. De acordo com o Sargento Marlon Freitas, do plantão do Centro de Operações da Defesa Civil, o boletim indica a possibilidade do Rio Grande do Sul ter chuvas intensas e com rajadas de vento de até 80Km/h acompanhado de descargas elétricas e risco de granizo nas próximas 24 horas. Em caso de emergência, a população deve, primeiramente, entrar em contato com as coordenadorias municipais da Defesa Civil e também recorrer ao Corpo de Bombeiros através do número 193. Mais informações no site da Defesa Civil, https://www.defesacivil.rs.gov.br.
Comentários CORRIGIR TEXTO