Porto Alegre, terça-feira, 01 de dezembro de 2020.
Dia Mundial de Luta contra a Aids.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 01 de dezembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

saúde

- Publicada em 14h30min, 01/12/2020. Atualizada em 14h31min, 01/12/2020.

Com aumento de casos de Covid, Hospital Conceição retoma restrições de cirurgias eletivas

Instituição tem 96% da UTI da Covid-19 ocupada, com apenas um leito disponível

Instituição tem 96% da UTI da Covid-19 ocupada, com apenas um leito disponível


JOYCE ROCHA/JC
Fernanda Soprana
O Grupo Hospitalar Conceição (GHC) anunciou, nesta terça-feira (1º), a retomada das restrições de cirurgias eletivas no Hospital Conceição, em Porto Alegre. A medida, que já havia sido implementada em março deste ano, ocorre com o aumento na demanda por leitos de UTI por pacientes com Covid-19.
O Grupo Hospitalar Conceição (GHC) anunciou, nesta terça-feira (1º), a retomada das restrições de cirurgias eletivas no Hospital Conceição, em Porto Alegre. A medida, que já havia sido implementada em março deste ano, ocorre com o aumento na demanda por leitos de UTI por pacientes com Covid-19.
No fim de agosto, devido à estabilidade das demandas da pandemia, o GHC havia retomado a realização das cirurgias eletivas no hospital. Os hospitais Nossa Senhora da Conceição e Criança Conceição, que integram o GHC, também havia iniciado o reagendamento de 50 mil consultas que não foram realizadas devido à pandemia. 
Segundo o diretor-presidente do grupo, Dr. Cláudio Oliveira, a demanda por leitos para coronavírus tem aumentado. O Hospital Conceição tem 96% da UTI da Covid-19 ocupados, com apenas um leito disponível. 
“Nós não fechamos nenhum leito, só fizemos um rearranjo interno. Com um total de 75 leitos, tínhamos 44 leitos de UTI para Covid e 31 para não Covid. Em agosto, nós aumentamos os leitos não direcionados a pacientes com coronavírus, passando para 29 e 46”, explica.
O documento para a medida está em processo de finalização pela equipe do Grupo GHC e deve ser comunicado às secretarias municipal e estadual de Saúde, além da equipe interna do hospital, ainda nesta terça.
“Quando diminuir o número de casos, voltaremos a ter mais espaço para a UTI não Covid e conseguiremos retomar as cirurgias”, relata Oliveira.
Na última semana, o Hospital Moinhos de Vento anunciou a manutenção da restrição a pacientes com suspeita de Covid-19, com sintomas leves e quadros de menor gravidade, em razão da grande demanda. Logo após, o Hospital Mãe de Deus (HMD), que atende pacientes privados e convênios, também havia iniciado uma restrição de atendimentos devido ao aumento de casos de Covid-19.
O Rio Grande do Sul tem 2.045 pessoas hospitalizadas em razão da Covid-19, de acordo com o governo. O Estado ainda concentra 322.058 casos confirmados de infecção e 6.813 vítimas.
Comentários CORRIGIR TEXTO