Porto Alegre, sexta-feira, 20 de novembro de 2020.
Dia Nacional da Consciência Negra. Dia Universal das Crianças.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 20 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Violência

- Publicada em 12h35min, 20/11/2020. Atualizada em 19h49min, 20/11/2020.

MP vai acompanhar sobre morte de João Alberto por seguranças em supermercado

Órgão quer assegurar a responsabilização dos agressores

Órgão quer assegurar a responsabilização dos agressores


JOYCE ROCHA/JC
Unindo-se a outras entidade e órgãos que emitiram ao longo desta manhã (20) notas de repúdio ao brutal assassinato de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, nas dependências de um supermercado da rede Carrefour, em Porto Alegre, o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP/RS) também se posicionou oficial sobre o caso. O órgão reforça que acompanhará com atenção a apuração dos fatos.
Unindo-se a outras entidade e órgãos que emitiram ao longo desta manhã (20) notas de repúdio ao brutal assassinato de João Alberto Silveira Freitas, de 40 anos, nas dependências de um supermercado da rede Carrefour, em Porto Alegre, o Ministério Público do Rio Grande do Sul (MP/RS) também se posicionou oficial sobre o caso. O órgão reforça que acompanhará com atenção a apuração dos fatos.
Em nota, o MP reiterou que todas as medidas necessárias para o esclarecimento das circunstâncias serão tomadas para levar o caso à Justiça e assegurar a responsabilização dos agressores. Do poder judiciário também vieram manifestações como do ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal (STF).
O caso comove e revolta o Brasil inteiro e tem gerado pronunciamentos de diferentes personalidades, dentro e fora o Brasil, como do atacante da seleção brasileira e do Everton, da Inglaterra, o jogador Richarlison, que se manifestou sua indignação pelo Twitter.
Os dois seguranças agrediram Freitas até a morte e o sufocaram, com cenas registradas em vídeos por outros clientes que pediam para a dupla parar com as agressões. Os seguranças foram presos e devem responder por homicídio triplamente qualificado.
Comentários CORRIGIR TEXTO