Porto Alegre, terça-feira, 17 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 17 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 17h17min, 16/11/2020. Atualizada em 14h49min, 17/11/2020.

RS define que uma semana em bandeira vermelha não é suficiente para que escolas interrompam atividades

Instituições só devem parar após duas semanas em vermelho no mapa

Instituições só devem parar após duas semanas em vermelho no mapa


ITAMAR AGUIAR/PALÁCIO PIRATINI/JC
O governo do Estado definiu nesta segunda-feira (16) que uma semana em bandeira vermelha não é suficiente para que escolas interrompam as atividades. Sendo assim, será necessário que a região ingresse na segunda semana consecutiva em bandeira vermelha para que as escolas não possam abrir em uma região ou, se já abertas, devam fechar. Além disso, a nova alteração nos critérios do distanciamento controlado prevê que, quando uma região retomar a classificação de laranja e amarela, as aulas presenciais possam ser retomadas imediatamente naquela semana, sem precisar aguardar uma nova rodada.
O governo do Estado definiu nesta segunda-feira (16) que uma semana em bandeira vermelha não é suficiente para que escolas interrompam as atividades. Sendo assim, será necessário que a região ingresse na segunda semana consecutiva em bandeira vermelha para que as escolas não possam abrir em uma região ou, se já abertas, devam fechar. Além disso, a nova alteração nos critérios do distanciamento controlado prevê que, quando uma região retomar a classificação de laranja e amarela, as aulas presenciais possam ser retomadas imediatamente naquela semana, sem precisar aguardar uma nova rodada.
Na classificação final do distanciamento controlado desta semana, pelo menos sete, das 11 regiões anunciadas na sexta-feira (13), estão em bandeira vermelha no Rio Grande do Sul: Novo Hamburgo, Santo Ângelo, Santa Rosa, Capão da Canoa, Canoas, Cruz Alta e Ijuí. Com a alteração referente à área da educação, apenas as regiões de Cruz Alta, Ijuí e Santo Ângelo ficarão impedidas de manter atividades presenciais nas escolas, uma vez que foram classificadas, mais uma vez, como bandeira vermelha.
Os protocolos do distanciamento controlado orientavam que, nas regiões com bandeira vermelha, as atividades de cursos livres devessem ficar suspensas. Nas universidades, a determinação anterior era de que somente fossem mantidos em funcionamento os trabalhos de laboratório necessários à manutenção de seres vivos e que as demais atividades de ensino seguissem, exclusivamente, através da modalidade remota.
Regiões como Porto Alegre, Passo Fundo, Guaíba e Caxias do Sul, que haviam sido classificadas como bandeira vermelha na sexta-feira, tiveram os pedidos de reconsideração aceitos pelo Estado. Com isso, o Rio Grande do Sul permanece com sete bandeiras vermelhas e 14 laranjas.
As atividades presenciais nas escolas de Educação Infantil foram retomadas em 8 de setembro, de acordo com o calendário estadual. No dia 21 de setembro, foi a vez das instituições de Ensino Superior, Ensino Médio e Ensino Técnico. O Ensino Médio estadual iniciou o retorno em 20 de outubro, e as demais etapas (Ensino Fundamental) puderam ser retomadas em 28 de outubro.
Comentários CORRIGIR TEXTO