Porto Alegre, quinta-feira, 12 de novembro de 2020.
Dia do Supermercado. Dia Internacional da Qualidade.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 12 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Gravidez na Adolescência

- Publicada em 20h49min, 11/11/2020.

RS lança Semana de Prevenção à Gravidez na Adolescência

Em 2019, RS teve 14.909 mães adolescentes, de 10 a 19 anos, o que representa 11,1% do total

Em 2019, RS teve 14.909 mães adolescentes, de 10 a 19 anos, o que representa 11,1% do total


FREDY VIEIRA/PMPA/DIVULGAÇÃO/JC
Com o objetivo de informar e sensibilizar a população sobre os casos de gravidez precoce em algumas cidades do Rio Grande do Sul, o governo do Estado lançou nesta quarta-feira (11), através de transmissão ao vivo pelas redes sociais, a Semana Estadual de Prevenção à Gravidez na Adolescência.
Com o objetivo de informar e sensibilizar a população sobre os casos de gravidez precoce em algumas cidades do Rio Grande do Sul, o governo do Estado lançou nesta quarta-feira (11), através de transmissão ao vivo pelas redes sociais, a Semana Estadual de Prevenção à Gravidez na Adolescência.
O governador Eduardo Leite assinou, ainda, um decreto para que a semana de debates sobre o tema seja realizada anualmente, sempre incluindo o dia 9 de novembro. A ideia é que se possa manter o debate ativo sobre a pauta e que o Estado possa contribuir com ações de conscientização. "Passamos a ter um espaço dedicado no calendário para colocar em pauta esta política pública tão importante, tanto pelo que impacta na vida das pessoas, especialmente das meninas, que podem colocar em risco a sua própria vida e a da criança, quanto pelos reflexos de curto, médio e longo prazos em outras áreas", comentou Leite.
Há uma década, a taxa de gestação de adolescentes no Estado era de 15% entre meninas de 10 a 19 anos. Atualmente, o índice é de 11%, mas, mesmo com a redução, os números preocupam. "Ainda temos muitos municípios e bairros onde a vulnerabilidade social e as dificuldades socioeconômicas acabam fazendo com que adolescentes engravidem numa idade em que deveriam estar estudando, sonhando, e acabam não vivendo essa fase plenamente", afirmou a secretária estadual da Saúde, Arita Bergmann.
A proporção de gravidez segue a tendência nacional e internacional e está em queda. No entanto, os números ainda demonstram que a situação está longe do desejado. Em 2019, entre 134.316 nascidos vivos, o número de mães adolescentes, de 10 a 19 anos, foi de 14.909, o que representa 11,1%. Foram registradas 502 gestações de mães de 10 a 14 anos e 14.407 de mães de 15 a 19 anos.
Comentários CORRIGIR TEXTO