Porto Alegre, sábado, 07 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 07 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Energia Elétrica

- Publicada em 19h25min, 07/11/2020.

Quatro operadoras no Amapá abrem suas redes de telefonia à população

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, informou a abertura das redes de telefonia neste sábado

O ministro das Comunicações, Fábio Faria, informou a abertura das redes de telefonia neste sábado


Marcelo Camargo/Agência Brasil/JC
As operadoras Claro, Oi, Tim e Vivo abriram suas redes de telefonia, em roaming, no Amapá, para facilitar o acesso da população aos serviços de telefonia e internet, conforme o ministro das Comunicações, Fábio Faria divulgou neste sábado (7), por meio de uma rede social. Desde a noite de terça-feira (3) o estado enfrenta um apagão que deixou quase todos os municípios sem fornecimento de energia elétrica.
As operadoras Claro, Oi, Tim e Vivo abriram suas redes de telefonia, em roaming, no Amapá, para facilitar o acesso da população aos serviços de telefonia e internet, conforme o ministro das Comunicações, Fábio Faria divulgou neste sábado (7), por meio de uma rede social. Desde a noite de terça-feira (3) o estado enfrenta um apagão que deixou quase todos os municípios sem fornecimento de energia elétrica.
"Com atuação do @mincomunicacoes e Anatel, a Claro, Oi, Tim e Vivo abriram suas redes em roaming p/ otimizar os serviços de telefonia e internet no AP. Agora, os usuários podem usar qualquer rede disponível, independente da operadora contratada, sem custo adicional", tuítou o ministro.
O roaming ocorre quando uma linha de celular é ativada fora da área de cobertura de uma operadora e precisa usar uma segunda rede, de outra operadora. A depender da operadora, o uso do roaming pode ser cobrado do usuário.
Desde o apagão, diversos serviços de comunicação têm funcionado de forma precária no Amapá, a exemplo das redes de telefonia fixa, móvel e de internet. As operadoras disponibilizaram equipes e também geradores próprios de energia para manter suas redes em funcionamento.
Na sexta-feira (6), Faria reconheceu a precariedade da operação. "Os serviços de telecomunicações funcionam por geradores, de maneira precária", disse em sua conta no Twitter. Ainda de acordo com o ministro, a pasta tem atuado junto ao comitê de crise criado pelo Ministério de Minas e Energia para viabilizar combustível para os geradores das operadoras de telecom.
Na manhã deste sábado (7), o Ministério de Minas e Energia (MME) disse que o sistema elétrico da capital, Macapá, voltou a ser conectado à rede de transmissão do Sistema Interligado Nacional (SIN), após terem sido concluídos os reparos em um dos transformadores da Subestação Macapá durante a madrugada. Com isso, segundo nota divulgada pela pasta, o retorno do fornecimento de energia será gradativo, "prezando pela segurança e confiabilidade do atendimento de energia elétrica aos consumidores".
Segundo o governo estadual, no decorrer da manhã a situação começou a se normalizar nas principais cidades. Em Macapá, a maioria dos bairros já estava recebendo energia, bem como no segundo maior município, que é Santana. As cidades localizadas nos extremos do estado (Oiapoque e Laranjal) também começaram a receber energia. O governo estuda a possibilidade de adotar racionamento, com reativação e desligamento de energia a cada seis horas em todo o território amapaense, até a normalização do fornecimento.
Comentários CORRIGIR TEXTO