Porto Alegre, sexta-feira, 06 de novembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 06 de novembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Transporte

- Publicada em 18h37min, 06/11/2020. Atualizada em 18h40min, 06/11/2020.

Redução de R$ 0,15 na tarifa de ônibus é aprovada por unanimidade em Porto Alegre

Preço cobrado dos usuários passará dos atuais R$ 4,70 para R$ 4,55 já na próxima semana

Preço cobrado dos usuários passará dos atuais R$ 4,70 para R$ 4,55 já na próxima semana


MARCO QUINTANA/JC
Gabriela Porto Alegre
O Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu) aprovou, nesta sexta-feira (6), por unanimidade, a redução de R$ 0,15 no valor da tarifa de ônibus de Porto Alegre. Em sessão extraordinária virtual, os conselheiros do Comtu apreciaram o relatório da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), relativo à aprovação da Lei Complementar 892/2020 de quarta-feira (4), que trata da exoneração da Câmara de Compensação Tarifária (CTT) do transporte coletivo. Com essa redução, equivalente a 3% do valor atual, a ideia é que o preço cobrado dos usuários passe dos atuais R$ 4,70 para R$ 4,55 já na próxima semana.
O Conselho Municipal de Transportes Urbanos (Comtu) aprovou, nesta sexta-feira (6), por unanimidade, a redução de R$ 0,15 no valor da tarifa de ônibus de Porto Alegre. Em sessão extraordinária virtual, os conselheiros do Comtu apreciaram o relatório da Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), relativo à aprovação da Lei Complementar 892/2020 de quarta-feira (4), que trata da exoneração da Câmara de Compensação Tarifária (CTT) do transporte coletivo. Com essa redução, equivalente a 3% do valor atual, a ideia é que o preço cobrado dos usuários passe dos atuais R$ 4,70 para R$ 4,55 já na próxima semana.
Durante a votação, os conselheiros Paulo Roberto Pereira, da Central Única dos Trabalhadores do Rio Grande do Sul (CUT-RS), e Émerson Dutra, do Sindicato dos Trabalhadores em Empresas de Transporte de Porto Alegre (Stetpoa), questionaram o fato de a votação pela redução da tarifa ocorrer dias antes das eleições municipais, mas mantiveram a opinião em relação a importância da diminuição do valor da passagem. “Me traz estranheza um ato deste. A diminuição da passagem é um ato bom para o trabalhador, mas me causa estranheza que ocorra a 10 dias antes das eleições”, disse Pereira.
O texto, no entanto, foi sugerido pelo Executivo Municipal à Câmara de Vereadores em janeiro. Mas, conforme o diretor-presidente da EPTC, Fabio Berwanger, foi votado apenas em de setembro, sendo devolvido para a prefeitura da Capital em outubro, o que acabou atrasando o andamento do projeto. “Esse processo foi para ser votado em 27 de janeiro. Sabe quando votaram? Setembro. Sabe quando mandaram para a prefeitura? 36 dias depois, ou seja, final de outubro”, defendeu.
Aprovado com 15 votos, a ideia é que tão logo a tarifa possa ser reajustada para que entre em vigor na próxima semana. “Ainda precisamos resolver algumas questões técnicas com a Associação dos Transportadores de Passageiros de Porto Alegre (ATP), mas a ideia é fazer isso o mais rápido possível para que o novo valor passe a valer, talvez, segunda-feira (9) a partir da meia noite”. A ATP informou, que precisa, em média, de três a quatro dias para reestruturar os validadores dos bilhetes de ônibus”.
O presidente do Comtu, Jaires Maciel, falou sobre a importância desta redução, uma vez que ela impactará de forma positiva no bolso dos usuários do transporte coletivo. Além disso, reforçou a imparcialidade do conselho. “Não me sentiria confortável por fazer a escolha de prorrogar a diminuição (da tarifa), fazendo com que trabalhadores, usuários, passassem mais alguns dias pagando uma tarifa que está elevada”, comentou.
Ainda durante a votação, o representante da Associação dos Transportadores de Passageiros por Lotação (ATL), Rogério Lago, manifestou o interesse de que, assim como os ônibus, as lotações também tenham uma redução tarifária. “A ideia é que a tarifa das lotações passe de R$ 6,60 para R$ 6,50 para acompanhar a redução da passagem de ônibus”.
Comentários CORRIGIR TEXTO