Porto Alegre, terça-feira, 13 de outubro de 2020.
Dia do fisioterapeuta e do terapeuta ocupacional.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 13 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 19h59min, 13/10/2020. Atualizada em 21h17min, 13/10/2020.

Trabalhadores do Imesf voltam a protestar contra demissões em Porto Alegre

Funcionários se reuniram frente ao Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região

Funcionários se reuniram frente ao Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região


JOYCE ROCHA/JC
Andressa Vieira
Funcionários do extinto Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf) que ainda possuem vínculo de trabalho se reuniram no final da tarde desta terça-feira (13), em frente ao Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-4), para realizar uma vigília em contra o desligamento dos profissionais. Com faixas e vestindo jaleco, cerca de 150 pessoas participaram do ato.
Funcionários do extinto Instituto Municipal de Estratégia de Saúde da Família (Imesf) que ainda possuem vínculo de trabalho se reuniram no final da tarde desta terça-feira (13), em frente ao Tribunal Regional do Trabalho da 4ª Região (TRT-4), para realizar uma vigília em contra o desligamento dos profissionais. Com faixas e vestindo jaleco, cerca de 150 pessoas participaram do ato.
É pelo menos o segundo protesto da categoria em frente ao local. Intitulado "Luz para a Justiça", o ato buscou prestar apoio simbólico ao poder judiciário, especialmente ao Ministério Público do Trabalho, que aprovou a liminar em vigor que impede que o prefeito Nelson Marchezan Júnior (PSDB) demita os funcionários do Imesf. Na semana passada, o MPT se manifestou após pressão dos trabalhadores sobre a extinção do instituto. 
A mobilização pede que o Tribunal de Justiça do Estado (TJ-RS) analise o recurso contra a extinção do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), que impedia a terceirização dos serviços da atenção básica em saúde em Porto Alegre. Mesmo que haja decisão da Justiça Estadual que recolocou a questão do TAC na esfera estadual, a categoria quer ação da Justiça do Trabalho.
Durante a vigília, o presidente do Sindisaúde-RS, Julio Jesien, afirmou que "as eleições também impedem o desligamento de profissionais que são servidores públicos". No entanto, o sindicato que representa a categoria alega que o prefeito não cumpriu a liminar e começou as demissões há duas semanas.
Diante do impasse, os trabalhadores decidiram em votação virtual na última quinta-feira fazer greve a partir desta quarta-feira (14) e até sexta-feira (16)
A agenda mobilizações segue durante a semana. Na quarta, às 8h, está marcado um encontro no Posto Modelo, na avenida João Pessoa. De lá, os trabalhadores devem sair em caminhada em direção a prefeitura da Capital, no Centro Histórico. 
Na quinta-feira, o protesto começa em frente à prefeitura, e no início da tarde uma caminhada vai até a Câmera de Vereadores de Porto Alegre, onde serão os funcionários devem ser recebidos pelo presidente da Casa. Na sexta, último dia de greve, os manifestantes irão se encontrar novamente no Tribunal Regional do Trabalho para receber a resposta das suas reinvindicações. 
O movimento vai realizar novas assembleias para decidir sobre as futuras deliberações. "Se a decisão for desfavorável, vamos realizar uma assembleia e decidiremos os rumos do movimento", afirma Jesien.
Comentários CORRIGIR TEXTO