Porto Alegre, terça-feira, 06 de outubro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
terça-feira, 06 de outubro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

educação

- Publicada em 17h55min, 06/10/2020.

Serra gaúcha adia em duas semanas a volta às aulas na rede estadual

Na rede municipal, o retorno já foi autorizado do Infantil ao Ensino Médio

Na rede municipal, o retorno já foi autorizado do Infantil ao Ensino Médio


SMED/DIVULGAÇÃO/JC
Roberto Hunoff, de Caxias do Sul
O retorno das aulas presenciais nas escolas da rede estadual administradas pela 4ª Coordenadoria Regional da Educação (4ª CRE), na serra gaúcha, foi prorrogado para 28 de outubro. Já havia decisão inicial de adiar em uma semana em relação à data de 13 de outubro, liberada pelo governo. Mas, em reunião da coordenação com os diretores das escolas, na manhã dessa segunda (5), o prazo ganhou nova dilatação. A principal motivação é que ainda não chegaram os equipamentos de proteção individual (EPIs). Além disso, após recebimento, haverá necessidade de conferência dos materiais e preparação das escolas.
O retorno das aulas presenciais nas escolas da rede estadual administradas pela 4ª Coordenadoria Regional da Educação (4ª CRE), na serra gaúcha, foi prorrogado para 28 de outubro. Já havia decisão inicial de adiar em uma semana em relação à data de 13 de outubro, liberada pelo governo. Mas, em reunião da coordenação com os diretores das escolas, na manhã dessa segunda (5), o prazo ganhou nova dilatação. A principal motivação é que ainda não chegaram os equipamentos de proteção individual (EPIs). Além disso, após recebimento, haverá necessidade de conferência dos materiais e preparação das escolas.
As aulas presenciais da Educação Infantil na rede privada da Serra retornaram no começo de setembro. Na rede municipal, o retorno já foi autorizado, do Infantil ao Ensino Médio. A rede estadual retorna em 20 de outubro, após adiamento em uma semana por parte do governo.
Na região de abrangência da 4ª CRE são 117 escolas distribuídas em 14 municípios. Os pais terão autonomia para decidir se os filhos irão ou não à escola. Os que não forem deverão permanecer com as atividades na plataforma online. O retorno dos demais níveis, fundamental I e II, ainda não está definido, mas deve ocorrer somente em novembro. No calendário divulgado pelo governo, o retorno poderia ocorrer em 28 de outubro.
Nas próximas duas semanas, o trabalho dos professores vai se manter majoritariamente por meio da plataforma para ensino remoto. Somente demandas específicas devem fazer com que os profissionais tenham de atuar presencialmente. A partir do dia 28, as instituições terão de gerir o quadro de professores conforme a demanda de atendimento, isto porque os exercícios remotos vão seguir, o que demanda que os docentes atuem em duas frentes.
A projeção é que os professores poderão ter jornadas presenciais de nove até 15 horas semanais. Até a implantação efetiva do sistema, o funcionamento seguirá na forma de plantão, com a presença de funcionários de limpeza e da equipe diretiva.
A Secretaria Estadual da Educação informou investimento de R$ 270 milhões no processo de retorno das aulas presenciais. O valor destina-se à capacitação, aquisição de equipamentos de proteção e materiais para a limpeza, bem como em contratos de professores e profissionais de apoio. As contratações serão necessárias diante do aumento no serviço de higienização e para a substituição de servidores em grupos de risco.
Comentários CORRIGIR TEXTO