Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 10h51min, 16/09/2020. Atualizada em 19h35min, 16/09/2020.

Colégio Militar de Porto Alegre anuncia volta às aulas antes do projetado pela prefeitura

Instituição criou calendário de retorno escalonado a partir da próxima semana

Instituição criou calendário de retorno escalonado a partir da próxima semana


JONATHAN HECKLER/JC
Juliano Tatsch
O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Junior, anunciou, na segunda-feira (14) uma proposta de calendário para o retorno às aulas presenciais na cidade. Conforme o cronograma municipal, as escolas poderiam retomar as atividades em salas de aula a partir do dia 5 de outubro. Atividades de apoio e preparação das escolas já poderiam voltar a acontecer no dia 28 de setembro. Entretanto, uma importante escola da Capital comunicou a comunidade escolar que irá retomar as atividades presenciais já na próxima segunda-feira, dia 21, contrariando a determinação municipal.
O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Junior, anunciou, na segunda-feira (14) uma proposta de calendário para o retorno às aulas presenciais na cidade. Conforme o cronograma municipal, as escolas poderiam retomar as atividades em salas de aula a partir do dia 5 de outubro. Atividades de apoio e preparação das escolas já poderiam voltar a acontecer no dia 28 de setembro. Entretanto, uma importante escola da Capital comunicou a comunidade escolar que irá retomar as atividades presenciais já na próxima segunda-feira, dia 21, contrariando a determinação municipal.
O Colégio Militar de Porto Alegre, administrado pelo Exército, informou por meio de um comunicado, um retorno escalonado dos alunos às dependências da escola, com início no dia 21 de setembro.
Conforme o cronograma da instituição, na semana compreendida entre os dias 21 e 25 de setembro, alunos dos três anos do Ensino Médio terão aulas na escola na segunda, na quarta e na sexta-feira. Já os estudantes do 8º e do 9º ano do Ensino Fundamental, retornarão às salas de aula na terça e quinta-feira.
Na semana seguinte, entre os dias 28 de setembro e 2 de outubro, o calendário segue o mesmo para os alunos do Ensino Médio, com aulas às segundas, quartas e sextas-feiras. Às atividades nas terças e quintas-feiras, além dos estudantes do 8º e do 9º anos, incluem-se também os alunos do 6º e do 7º anos do Ensino Fundamental.
Conforme o comunicado, assinado pelo diretor de Ensino o CMPA, coronel Saul Marques Machado Júnior, alunos que não puderem retornar às aulas presenciais, por comporem grupo de risco ou conviverem com pessoas do grupo de risco, “deverão informar imediatamente ao CMPA, através do e-mail das Companhias de Alunos”. Quem não retornar às atividades em sala de aula, receberá o conteúdo por meio de um Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).
Segundo a escola, “todos os protocolos sanitários previstos “estão sendo, e serão, rigorosamente seguidos”.
A Secretarial Municipal de Educação de Porto Alegre (Smed), por meio de sua assessoria de imprensa, informou que a prefeitura vai conversar com a escola "já que a decisão contraria os decretos estadual e municipal, então não tem base legal nenhuma". Se o diálogo não for suficiente para o CMPA mudar sua decisão, a Justiça deve ser acionada para impedir a reabertura da escola sem a autorização do governo.
Em reunião nesta quarta-feira (16), o prefeito Nelson Marchezan Júnior e o general Julio Cesar Baltieri, juntamente com as secretarias municipais de Saúde e Educação, o Coronel Saul, comandante do Colégio Militar de Porto Alegre, e a equipe de saúde do Comando Militar do Sul, acertaram um projeto piloto para o retorno das aulas no dia 28 de setembro. Segundo a prefeitura, o colégio servirá de modelo para aplicação dos protocolos de retomada em meio à pandemia do coronavírus. O retorno dos alunos e a aplicação das regras serão acompanhados por equipes técnicas da saúde e educação do município.
 
Comentários CORRIGIR TEXTO