Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 17h56min, 14/09/2020. Atualizada em 16h24min, 15/09/2020.

Porto Alegre: Marchezan propõe volta às aulas em 5 de outubro

Alunos de Ensino Fundamental e Médio terão retornos em períodos diferentes na Capital

Alunos de Ensino Fundamental e Médio terão retornos em períodos diferentes na Capital


ANA PAULA APRATO/ARQUIVO/JC
Fernanda Crancio
A prefeitura de Porto Alegre propôs calendário de volta às atividades presenciais de alunos nas escolas da Capital a partir do dia 5 de outubro. As primeiras atividades do setor educacional, no entanto, começariam em 28 de setembro, para preparação das escolas e professores, ainda sem estudantes nos estabelecimentos. O cronograma segue até o dia 3 de novembro, com duas semanas de intervalo entre cada etapa de ensino, segundo proposta apresentada pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior nesta segunda-feira (14), aguardada desde a semana passada.
A prefeitura de Porto Alegre propôs calendário de volta às atividades presenciais de alunos nas escolas da Capital a partir do dia 5 de outubro. As primeiras atividades do setor educacional, no entanto, começariam em 28 de setembro, para preparação das escolas e professores, ainda sem estudantes nos estabelecimentos. O cronograma segue até o dia 3 de novembro, com duas semanas de intervalo entre cada etapa de ensino, segundo proposta apresentada pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior nesta segunda-feira (14), aguardada desde a semana passada.
O calendário será discutido com os setores e segmentos  da educação, como o de escolinhas de Educação Infantil, a partir desta terça-feira (15). A volta às aulas ocorre em meio também à preparação para a retomada de eventos na cidade.   
Pelo calendário, dia 28 de setembro iniciam as atividades de organização da alimentação da Educação Infantil, atividades de apoio e de adaptação; no dia 5 de outubro retornaria a Educação Infantil, os alunos de terceiro ano do Ensino Médio, Educação Profissional e EJA; no dia 13 de outubro retomam as atividades de alimentação e atividades de apoio de todas as demais etapas de ensino; no dia 19 de outubro voltam as turmas de Ensino Fundamental 1, Especial e EJA municipal; e, por último, em 3 de novembro, os alunos de Ensino Fundamental 2, Especial e restante do Ensino Médio. O Ensino Superior ainda não foi contemplado nesse planejamento e terá calendário definido nos próximos dias, após acertos com as universidades.
Ao anunciar o calendário por meio de live, ao lado dos secretários de Educação, Adriano Naves de Brito, da Saúde, Pablo Stürmer, e adjunto da Saúde, Natan Katz, o prefeito destacou que procurou estabelecer uma relação direta com todos os setores desde o início da pandemia e que o planejamento de retomada das atividades educacionais busca alinhar as necessidades pedagógicas e sanitárias. "Agora chegou o momento, a partir de gora iniciamos uma conversa um pouco mais específica com as entidades sobre a proposta de calendário e protocolos, mas a decisão será das escolas e dos pais", ressaltou Marchezan.
A intenção da prefeitura é elaborar uma minuta com as propostas de protocolos que englobem todas as estruturas de ensino da cidade, de forma a unificar as etapas da educação. O prefeito e os secretários ressaltaram que o atual momento da pandemia na cidade, com estabilidade nos principais dados, principalmente as internações em UTI, permitiram dar esse passo após seis meses sem aulas. "Não se está fazendo nenhuma abertura que coloque em risco a saúde da cidade, mas principalmente que não coloque em risco o aprendizado das crianças", disse o secretário da Educação.
Porto Alegre estima que o retorno das aulas represente a movimentação de mais de 380 mil pessoas na cidade, entre alunos das idades iniciais ao Ensino Superior, além de pais e servidores. No transporte de passageiros esse impacto também é grande, com a circulação de cerca de 81 mil pessoas.
Para a retomada das aulas cada instituição de ensino ficará responsável pela implementação de seu plano de enfrentamento e comunicação com a comunidade escolar e poder público. Na sugestão dos protocolos a serem aplicados estão lotação de até 15 alunos no Ensino Infantil e distanciamento mínimo de 1,5m para os alunos dos demais níveis. O contato físico deve ser limitado, com escalas para os intervalos, uso de áreas comuns, entradas e saídas. Além disso, máscaras descartáveis são obrigatórias para os professores  e artesanais ou protetor facial para os demais trabalhadores.
As medida também tratam da detecção precoce de casos eventuais de Covid-19 e mitigação das transmissões. Cada aluno só poderá ficar um turno na escola a cada dia, segundo a orientação apresentada, que também regra os cuidados de higienização dos ambientes, objetos e uso de refeitórios.
Ciente das dificuldades que essa retomada representa a todos, os secretários reforçaram que esse é o momento adequado para o retorno e que esperam contar com apoio dos pais nesse processo. "Os pais não são obrigados (a enviar os filhos à escola), mas é muito importante voltar às atividades educacionais, seis meses parados é muito. Por isso, esperamos que os pais sejam paulatinamente conquistados para essa volta, não podemos fazer essa retomada sem a confiança dos pais", enfatizou Brito.

Confira a sequência de retorno das escolas em Porto Alegre:

28 de setembro: setor de alimentação da Educação Infantil, atividades de apoio e adaptação.
5 de outubro: Educação Infantil, terceiro ano do Ensino Médico, ensino profissionalizante e Educação de Jovens e Adultos (EJA).
13 de outubro: setor de alimentação em todas as escolas  
19 de outubro: Ensino Fundamental 1, ensino especial e EJA (municipal)
3 de novembro: Ensino Fundamental 2, especial e restante do Ensino Médio 
Comentários CORRIGIR TEXTO