Porto Alegre, quarta-feira, 23 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 23 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Transporte

- Publicada em 13h00min, 05/09/2020.

Com possível volta às aulas, linhas de ônibus devem ser reforçadas em Porto Alegre

Sistema terá de ser atualizado para voltar a aceitar o cartão TRI escolar, atualmente bloqueado

Sistema terá de ser atualizado para voltar a aceitar o cartão TRI escolar, atualmente bloqueado


JONATHAN HECKLER/JC
Juliano Tatsch
Porto Alegre, aos poucos, começa a voltar à normalidade, ainda que a pandemia do novo coronavírus deixe vítimas diárias - já são 754 óbitos em razão da Covid-19 na Capital, sendo 18 confirmados nesta sexta-feira (4). Com a maior parte do comércio da cidade funcionando, ainda que com restrições de horário e quantidade de pessoas dentro dos estabelecimentos, torna-se necessário um reforço no sistema de transporte público. Em razão disso, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) tem ajustado horários de linhas conforme o aumento na demanda. A partir de domingo, cinco linhas terão oferta de horários ampliada.
Porto Alegre, aos poucos, começa a voltar à normalidade, ainda que a pandemia do novo coronavírus deixe vítimas diárias - já são 754 óbitos em razão da Covid-19 na Capital, sendo 18 confirmados nesta sexta-feira (4). Com a maior parte do comércio da cidade funcionando, ainda que com restrições de horário e quantidade de pessoas dentro dos estabelecimentos, torna-se necessário um reforço no sistema de transporte público. Em razão disso, a Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC) tem ajustado horários de linhas conforme o aumento na demanda. A partir de domingo, cinco linhas terão oferta de horários ampliada.
Conforme o secretário municipal extraordinário de Mobilidade Urbana, Rodrigo Tortoriello, o desafio está em dosar o aumento de oferta de veículos nas ruas e os custos disso para o sistema, que vem sofrendo com queda de passageiros nos últimos anos, tendo sido classificado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior como falido.
“Temos de dimensionar para que não cometamos erro de ofertar viagens além do necessário, pois precisamos, também, tomar cuidado com as questões relativas ao custo do sistema como um todo”, afirma Tortoriello.
Com a possibilidade de um retorno em breve das aulas presenciais, necessariamente será preciso ampliar o número de horários, além de haver a liberação do uso do cartão TRI escolar, atualmente bloqueado. “A educação vai ter de receber uma atenção especial para que possamos não gerar problemas para as pessoas em seus deslocamentos. Além disso, há a questão sanitária, que é a mais importante. Tudo que estamos fazendo tem um objetivo único de atender às questões e orientações sanitárias de distanciamento e tudo mais. Ainda que o transporte público não tenha se mostrado, pelas pesquisas e levantamentos que temos visto, de alto contágio.”
Até a quinta-feira (3), a EPTC já havia realizado um total de 31.459 operações de fiscalização no transporte coletivo em Porto Alegre no período da pandemia, que ocasionaram 1.403 autuações (750 por viagem não realizada, 53 pelo não uso de máscara de proteção, 427 por excesso de passageiros e 173 por outros motivos).
“Contamos com a ajuda da população, que ela nos ajude a fiscalizar, nos informando quando ocorrer algum problema, o horário que ocorreu, para que possamos evitar que se repita. Nesse processo todo, mais importante do que autuar, é evitar que o problema se repita”, destaca o secretário.
Comentários CORRIGIR TEXTO