Porto Alegre, quarta-feira, 29 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 29 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Educação

- Publicada em 20h31min, 28/07/2020. Atualizada em 20h31min, 28/07/2020.

Celulares apreendidos em penitenciária de Osório serão doados a alunos da rede pública gaúcha

Ao menos 120 aparelhos celulares apreendidos por agentes penitenciários da Penitenciária Modulada Estadual de Osório (PMEO) passarão a auxiliar estudantes da rede pública de Osório, Maquiné e Tramandaí. Os equipamentos serão entregues com carregador, bateria e termo de compromisso para contribuir com o ensino e o aprendizado de crianças e adolescentes.
Ao menos 120 aparelhos celulares apreendidos por agentes penitenciários da Penitenciária Modulada Estadual de Osório (PMEO) passarão a auxiliar estudantes da rede pública de Osório, Maquiné e Tramandaí. Os equipamentos serão entregues com carregador, bateria e termo de compromisso para contribuir com o ensino e o aprendizado de crianças e adolescentes.
 Antes, no entanto, os telefones passarão por uma espécie de restauração, não deixando qualquer resquício do uso anterior na memória de dados. Esse processo será desenvolvido pelo Projeto Social Dejone Rambor, associação sediada em Tramandaí que dá aulas de jiu-jitsu para crianças carentes. A parceria prevê um investimento de até R$ 5.625,00, oriundos da conta das penas alternativas da Vara de Execuções Criminais de Osório, para reparo dos aparelhos e compra dos chips com internet.
Intitulado Alquimia II, a iniciativa é do Ministério Público e da Vara de Execuções de Osório, da Associação de Jiu-Jitsu de Tramandaí, do Projeto Social Dejone Rambor e da Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe).
Segundo o delegado penitenciário BenHur Calderon, o trabalho dos agentes nas operações de revistas e de apreensões de ilícitos permitirá que dezenas de crianças em situação de vulnerabilidade social sejam beneficiadas com a inclusão digital necessária em tempos de pandemia.
Conforme o diretor da PMEO, Amadeus Junior, os equipamentos utilizados em crimes costumavam ser descartados pela Polícia Civil, mas agora terão um novo destino. A estimativa é de que em duas semanas os telefones celulares estejam prontos para a entrega em escolas públicas de Osório, Maquiné e Tramandaí.
A ideia, porém, é estender o projeto para outros municípios e servir de incentivo para ações semelhantes em outras regiões. "O objetivo do projeto é possibilitar que os alunos em situação de vulnerabilidade possam acompanhar as atividades desenvolvidas em ambiente virtual, especialmente durante o período de distanciamento controlado ocasionado pela pandemia do novo coronavírus. São smartphones sem interesse criminalístico", enfatizou o promotor de justiça Fernando Andrade Alves.
Comentários CORRIGIR TEXTO