Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

fiscalização

- Publicada em 19h37min, 24/07/2020. Atualizada em 19h51min, 24/07/2020.

Ação da prefeitura para conter comércio ilegal termina em confusão em Porto Alegre

Foram apreendidos cerca de sete mil produtos falsificados e sem procedência

Foram apreendidos cerca de sete mil produtos falsificados e sem procedência


Anselmo Cunha/PMPA/JC
O Centro Histórico de Porto Alegre foi alvo nesta sexta-feira (24) de uma ação da prefeitura para combater o comércio ilegal na região. A área já é conhecida dos porto-alegrenses por reunir a maior concentração de ambulantes da Capital. Foram apreendidos cerca de sete mil produtos falsificados e sem procedência, assim como aproximadamente 1,5 mil quilos de frutas e verduras.
O Centro Histórico de Porto Alegre foi alvo nesta sexta-feira (24) de uma ação da prefeitura para combater o comércio ilegal na região. A área já é conhecida dos porto-alegrenses por reunir a maior concentração de ambulantes da Capital. Foram apreendidos cerca de sete mil produtos falsificados e sem procedência, assim como aproximadamente 1,5 mil quilos de frutas e verduras.
A ofensiva, porém, terminou em confusão. Vídeo publicado nas redes sociais mostra correria e caixotes de frutas e verduras espalhados na avenida Salgado Filho. Um contêiner de lixo teve fogo ateado e chegou a ser virado no meio da pista. "Isso é um abuso", disse um dos ambulantes no local. Algumas das pessoas que protestavam criticavam os governos, afirmando que estavam impedindo as pessoas de trabalhar - associando a ação às restrições de atividades impostas pela pandemia do coronavírus.
A prefeitura afirmou que a medida visa a proteger os empreendedores que atuam dentro da lei. "Nossos fiscais estão nas ruas combatendo a clandestinidade com a parceria da Brigada Militar e, ao mesmo tempo, preservando a população, pois são artigos que podem fazer mal à saúde ou serem perigosos, como no caso de óculos e eletrônicos", afirmou, em nota, o secretário municipal de Desenvolvimento Econômico (SMDE), Leonardo Hoff.
Mais de 30 viaturas e 60 agentes da Diretoria de Fiscalização da Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico, Guarda Municipal e Romu, em conjunto com a Brigada Militar, participaram da operação - considerada pela prefeitura a maior realizada nos últimos três anos.
As mercadorias recolhidas foram encaminhadas para o depósito da SMDE e podem ser recuperadas mediante pagamento de multa e comprovação da procedência. Já os alimentos serão destinados para uma instituição de caráter assistencial.
Comentários CORRIGIR TEXTO