Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Clima

- Publicada em 13h35min, 19/07/2020. Atualizada em 17h44min, 19/07/2020.

Rio Grande do Sul ainda possui 214 pessoas fora de suas casas devido às enchentes

Em Estrela, foram organizadas doações para os desabrigados da cheia do Rio Taquari

Em Estrela, foram organizadas doações para os desabrigados da cheia do Rio Taquari


PREFEITURA MUNICIPAL DE ESTRELA/DIVULGAÇÃO/JC
Atualizada às 17h30.
Atualizada às 17h30.
No Rio Grande do Sul, 214 pessoas ainda estão fora de suas casas devido aos efeitos dos dois ciclones que atingiram o Estado nas últimas semanas, especialmente inundações e enchentes. De acordo com boletim divulgado pela Defesa Civil Estadual neste domingo (18), 88 estão desalojadas (fora das residências mas instaladas em casas de parentes e amigos) e 126 estão desabrigadas (removidas para abrigos públicos).
Segundo a Defesa Civil, Bom Retiro do Sul, no Vale do Taquari, é o município com maior número de desabrigados no momento: 24 pessoas. De acordo com levantamento da prefeitura municipal em conjunto com Emater e Defesa Civil, os prejuízos causados pelas enchentes no município chegam a R$ 4,8 milhões, incluindo perdas em rebanhos, plantações e residências.
Bom Retiro do Sul decretou situação de emergência no dia 9 de julho. Na madrugada daquela data, o rio Taquari alcançou o nível de 27,39 metros em Estrela, um patamar que não eram registrado há 64 anos. Outra enchente ocorreu na manhã do dia 13 de julho, quando o rio alcançou 22,13 metros. Segundo a Defesa Civil municipal, 284 famílias tiveram de ser retiradas de suas casas devido às cheias. No atendimento que vem sendo prestado aos atingidos, já foram distribuídas mais de 85 cestas básicas, 180 kits de limpeza, 300 litros de leite, 200 pacotes de pão e 200 potes de sopa, numa despesa estimada de R$ 15 mil segundo 
Em Estrela, ainda existem 12 pessoas desabrigadas devido à enchente do Rio Taquari no dia 8 de julho. Durante a última semana, foram organizadas, no município, doações de peças de roupas, calçados, cobertores, travesseiros, colchões, alimentos, móveis, eletrodomésticos e produtos de higiene pessoal.
Para facilitar o acesso das famílias que sofreram perdas com a cheia, a prefeitura de Estrela criou novos pontos para a entrega de doações e retirada de agasalhos, os quais estão funcionando nas escolas municipais Emef Leo Joas (Bairro das Indústrias), Emei Criança Feliz (Loteamento Marmitt), Emei Arco-Íris (Bairro Imigrantes), Emei São João (Oriental) e Emei Girassol (Bairro Boa União). Nestes locais, o atendimento é das 9h às 13h. Já no Brechó Solidário, que funciona no prédio da antiga cervejaria Polar, o horário é das 8h às 11h30min e das 13h30min às 16h.
Em Encantado, onde ainda existem 22 desabrigados e 50 desalojados, a prefeitura municipal, com o apoio de voluntários, intensificou neste final de semana as mudanças das famílias atingidas pela enchente que estavam instaladas no Parque João Batista Marchese. O município também está recebendo doações de roupas, móveis, colchões e outros itens.
Em São Sebastião do Caí, a grande maioria dos desabrigados pelas três cheias consecutivas ocorridas em duas semanas no município ja conseguiu retornar para suas casas. Das 42 famílias que estavam instaladas nos abrigos montados no bairro Rio Branco, 30 voltaram para suas residências, com outras nove devendo fazer a volta nos próximos dias. Outras três famílias negaram auxílio da prefeitura e afirmam que só retornam se ganharem novas moradias.
Nesta semana, uma comitiva de prefeitos dos municípios atingidos pelas cheias estará em Brasília buscando apoio e recursos do governo federal para a recuperação das perdas causadas pelas enchentes.
Comentários CORRIGIR TEXTO