Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Investigação

- Publicada em 15h00min, 18/07/2020. Alterada em 15h27min, 18/07/2020.

Morre décima vítima intoxicada pela cerveja da Backer

Foi a segunda pessoa a falecer nesta semana em decorrência do consumo da bebida

Foi a segunda pessoa a falecer nesta semana em decorrência do consumo da bebida


CERVEJARIA BACKER/INSTAGRAM/REPRODUÇÃO/JC
Morreu neste sábado (18), em Belo Horizonte, a décima vítima de intoxicação após consumo da cerveja Belorizontina, da fábrica Backer. A informação é da Polícia Civil de Minas Gerais. A corporação não revelou o nome, mas disse que a vítima tinha 65 anos e estava internada desde dezembro do ano passado. É a segunda pessoa a falecer nesta semana em decorrência do consumo da bebida, seis meses depois de se tornarem públicos os casos de contaminação pela cerveja.
Morreu neste sábado (18), em Belo Horizonte, a décima vítima de intoxicação após consumo da cerveja Belorizontina, da fábrica Backer. A informação é da Polícia Civil de Minas Gerais. A corporação não revelou o nome, mas disse que a vítima tinha 65 anos e estava internada desde dezembro do ano passado. É a segunda pessoa a falecer nesta semana em decorrência do consumo da bebida, seis meses depois de se tornarem públicos os casos de contaminação pela cerveja.
No dia 9 do mês passado, 11 pessoas foram indiciadas pela Polícia Civil por homicídio culposo, quando não há intenção de matar, lesão corporal e contaminação alimentícia no inquérito que apurou a intoxicação de 29 pessoas que consumiram a Belorizontina. As investigações apontaram técnicos da empresa como os principais responsáveis pela contaminação.
Foram indiciados por homicídio culposo, lesão corporal culposa e contaminação de produto alimentar o chefe de manutenção e seis técnicos do setor de produção da Backer. Três integrantes do comando da cervejaria foram indiciados por contaminação de produto alimentício e por não dar publicidade a produto alimentar contaminado. Também foi indiciada testemunha que mentiu durante depoimento. Os nomes dos indiciados não foram revelados.
Segundo as investigações, a substância dietilenoglicol, altamente tóxica, utilizada pela empresa no processo de resfriamento externo de equipamentos da linha de produção, estava contaminando a cerveja via rachaduras que não teriam sido identificadas pela fábrica. Um dia depois dos indiciamentos, a Backer disse que a conclusão das investigações não condizia com as provas coletadas pelos policiais.
A Backer informou que não vai comentar a décima morte atribuída ao consumo da Belorizontina. Na última quarta-feira, 15, José Osvaldo de Faria, de 66 anos, morreu no Hospital Madre Teresa, na capital, onde estava internado desde fevereiro do ano passado depois de consumir a cerveja.
Durante a internação, conforme informações de sua mulher, Eliana Reis, teve cinco paradas cardiorrespiratórias, estava cego e com paralisia nas pernas. A família afirma que o caso de Osvaldo é um dos primeiros de contaminação pela cerveja. A polícia confirmou que os dois falecimentos, o de sábado e o de quarta-feira, fazem parte do inquérito que apura as mortes pelo consumo da cerveja.
Comentários CORRIGIR TEXTO