Porto Alegre, sábado, 18 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 18 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Urbanismo

- Publicada em 12h53min, 14/07/2020. Alterada em 12h53min, 14/07/2020.

Prefeitura de Porto Alegre priorizará licenciamentos a projetos que começarem obras em até um ano

Medida é válida para projetos novos ou já em tramitação

Medida é válida para projetos novos ou já em tramitação


MARCO QUINTANA/JC
O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, implementou na segunda-feira (13) medida que prioriza processos de licenciamento urbanístico e ambiental que possam começar as obras ou concluir as fundações até um ano depois da aprovação do projeto. A intenção, de acordo com nota da prefeitura, é incentivar atividade econômica e atenuar a crise causada pela pandemia do novo coronavírus.
O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, implementou na segunda-feira (13) medida que prioriza processos de licenciamento urbanístico e ambiental que possam começar as obras ou concluir as fundações até um ano depois da aprovação do projeto. A intenção, de acordo com nota da prefeitura, é incentivar atividade econômica e atenuar a crise causada pela pandemia do novo coronavírus.
Para receber o benefício, o empreendedor precisa preencher um protocolo formal e anexar um termo de compromisso a iniciar as obras ou concluir as fundações em até um ano da aprovação do projeto. A Secretaria Municipal do Meio Ambiente e da Sustentabilidade (SMAMS) tornará pública a lista dos projetos beneficiados, segundo nota da prefeitura. A medida é válida para projetos novos ou já em tramitação, desde que a requisição de prioridade seja feita em até 30 dias.
Segundo o Decreto 20.655, terão prioridade os empreendimentos não-residenciais com área total construída igual ou superior a 1.000 metros quadrados; residenciais com área total construída igual ou superior a 5.000 metros quadrados; as edificações de interesse público e aquelas voltadas à prestação de serviços de farmácia e médico-hospitalares, tais como hospitais, policlínicas e clínicas.
O decreto prevê, ainda, a criação do Comitê Especial de Monitoramento de Projetos Prioritários (CEMPP), que deve garantir a celeridade na análise. O órgão será presidido pelo secretário da Smams, Germano Bremm, e terá poder para rever processos, fixar prazos, designar e realocar servidores e tomar outras medidas relacionadas à priorização dos projetos. De acordo com a prefeitura, o CEMPP atuará em todas os segmentos da gestão municipal que participam do processo de aprovação e licenciamento de empreendimentos.
Comentários CORRIGIR TEXTO