Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Clima

- Publicada em 20h43min, 09/07/2020.

Rio Grande do Sul está em estado de alerta para inundações

Segundo MetSul, condições para os próximos dias sugerem cheia significativa do Guaíba

Segundo MetSul, condições para os próximos dias sugerem cheia significativa do Guaíba


LUIZA PRADO/JC
Gabriela Porto Alegre
A forte chuva que atingiu o Rio Grande do Sul entre terça (7) e quarta-feira (8), em decorrência de um ciclone extratropical, deve continuar tendo reflexos nos próximos dias. O nível do Guaíba, que já estava alto em virtude do ciclone-bomba que passou pelo Estado há duas semanas, aumentou ainda mais e pode causar impactos como enchentes e inundações em Porto Alegre. De acordo com alerta emitido pela Defesa Civil estadual nesta quinta-feira (9), os municípios de Alvorada, Cachoeirinha, Campo Bom, Canoas, Gravataí, Novo Hamburgo, São Leopoldo e Sapucaia do Sul também devem permanecer atentos.
A forte chuva que atingiu o Rio Grande do Sul entre terça (7) e quarta-feira (8), em decorrência de um ciclone extratropical, deve continuar tendo reflexos nos próximos dias. O nível do Guaíba, que já estava alto em virtude do ciclone-bomba que passou pelo Estado há duas semanas, aumentou ainda mais e pode causar impactos como enchentes e inundações em Porto Alegre. De acordo com alerta emitido pela Defesa Civil estadual nesta quinta-feira (9), os municípios de Alvorada, Cachoeirinha, Campo Bom, Canoas, Gravataí, Novo Hamburgo, São Leopoldo e Sapucaia do Sul também devem permanecer atentos.
O excesso de chuva registrado nos afluentes do Guaíba, como o Jacuí, o Taquari, o Gravataí e o Taquari-Antas deve começar a escoar entre o final desta semana e início da próxima. Na noite de quarta-feira, o Guaíba chegou a 1,91 metro. De acordo com a MetSul Meteorologia, chegando a 2,15 metros, já é o suficiente para alagar a região das Ilhas. Em sua conta no Twitter, a empresa fez um alerta: "Todos os dados de rios contribuintes, o histórico de cheias e as condições do tempo esperadas para os próximos sete dias sugerem cheia muito significativa do Guaíba".
Nesta quinta-feira, o nível estava em 2,08 metros, e a estimativa da empresa é de que os alagamentos comecem entre esta sexta-feira e o final de semana. "Primeiros alagamentos nas ilhas de Porto Alegre devem começar nas próximas horas. A MetSul reitera que o nível do Guaíba deve subir mais, e o pico da cheia ainda levará dias, devendo ser de grandes proporções e potencialmente histórico".
Em virtude da forte chuva do início desta semana, o rio Taquari registrou a terceira maior cheia da história em mais de seis décadas. A preocupação com isso está ligada ao fato de o Taquari desembocar no Jacuí, que é um dos principais contribuintes do Guaíba.
De acordo com o Serviço Geológico do Brasil (CPRM), que monitora o comportamento nas bacias e nos rios Caí e Taquari, o pico da cheia em São Sebastião do Caí chegou a 14,04 metros na noite de quarta-feira. Durante a madrugada de quarta para quinta-feira, o nível do rio desceu 60 centímetros no município. Essa é a sexta maior cheia registrada na cidade.
Em Montenegro, o rio continuou subindo nas últimas horas, sendo a cota atual de 8,14 metros. Já na bacia do Taquari, os rios também estão em situação de vazante. Em Encantado, a previsão é de o rio descer nas próximas horas até 14,28 metros. Em Estrela e Lajeado, o nível deve descer até 26,52 metros. Em Muçum, o rio deixou a cota de inundação nesta quinta-feira e está regredindo ao nível de 13,98 metros.
Em decorrência disso, a Defesa Civil de Porto Alegre emitiu um alerta laranja de inundação, considerando a possibilidade de o evento acontecer ainda neste final de semana. Conforme o documento, o risco ocorre em razão de "os principais rios e bacias da metade Norte do Estado encontrarem-se em declínio nas partes mais altas, podendo vir a afetar as comunidades ribeirinhas do bairro Arquipélago", diz o alerta.
Segundo o morador da Ilha das Flores, Aneci Domingos, as comunidades que compõem a região das Ilhas já estão se preparando para a possibilidade de alagamentos, enchentes e inundações. "Estamos controlando e monitorando a situação, já estamos bastante acostumados com essas coisas e sabemos que a água ainda vai descer bastante, podendo nos atingir fortemente".
Apesar de registrar tempo firme nesta sexta-feira (10), no final de semana o tempo deve ser de chuva no Estado, acendendo um novo alerta para a possibilidade de os rios continuarem subindo. A preocupação maior da MetSul é o acúmulo de chuva se somar aos já carregados afluentes dos rios que chegam ao Guaíba.
Em todo o Estado, os estragos causados pela chuva deixaram ao menos um morto, 3.096 pessoas desalojadas e 1.192 desabrigadas, de acordo com o levantamento realizado pela Defesa Civil estadual até as 17h desta quinta-feira. 
Comentários CORRIGIR TEXTO