Porto Alegre, quinta-feira, 24 de setembro de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 24 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Pesquisa

- Publicada em 13h23min, 07/07/2020. Atualizada em 13h42min, 07/07/2020.

Estudo estima que uso de máscaras pode reduzir contaminações da Covid em 40%

Pesquisa investiga Jena, cidade alemã que decretou obrigatoriedade antes de outros municípios

Pesquisa investiga Jena, cidade alemã que decretou obrigatoriedade antes de outros municípios


maria ana krack - pmpa/divulgação/jc
Um estudo realizado por pesquisadores alemães estimou que o uso de máscaras faciais é capaz de reduzir em torno de 40% o número de novos contágios pelo novo coronavírus. Publicado no portal VoxEU, a pesquisa usa o caso de Jena - cidade na região central da Alemanha com cerca de 110 mil habitantes -, que decretou a obrigatoriedade do uso de proteção facial para conter a pandemia no dia 6 de abril, antes da medida ser adotada na maior parte das cidades alemãs, no dia 27 do mesmo mês. Assim como ocorre no Brasil, a Alemanha determinou que Estados e municípios são os responsáveis por decretar políticas para segurar o avanço do vírus.
Um estudo realizado por pesquisadores alemães estimou que o uso de máscaras faciais é capaz de reduzir em torno de 40% o número de novos contágios pelo novo coronavírus. Publicado no portal VoxEU, a pesquisa usa o caso de Jena - cidade na região central da Alemanha com cerca de 110 mil habitantes -, que decretou a obrigatoriedade do uso de proteção facial para conter a pandemia no dia 6 de abril, antes da medida ser adotada na maior parte das cidades alemãs, no dia 27 do mesmo mês. Assim como ocorre no Brasil, a Alemanha determinou que Estados e municípios são os responsáveis por decretar políticas para segurar o avanço do vírus.
Os cientistas relatam que a taxa de novas contaminações diminuiu a quase zero em Jena nos primeiros dias após a cidade tornar o uso de máscaras obrigatório, indicando um "efeito positivo" relacionado à medida. Para se certificar de que a redução dos casos diários ocorreu por conta das máscaras faciais, os pesquisadores criaram uma Jena fictícia para tentar estimar como teria sido a evolução da Covid-19 no cidade caso a determinação não fosse aplicada. O município fictício teria as mesmas características de Jena, como sua densidade populacional regional, idade média da população, proporção de idosos e média do número de médicos e farmácias por habitantes.
"Vinte dias depois da introdução da obrigatoriedade de máscaras em Jena, o número acumulado de novos casos de Covid-19 cresceu 'apenas' de 142 para 158. Na Jena sintética, o número aumentou de 143 para 205. Isso corresponde a uma redução de 23% do número de casos", destacou a equipe de cientistas. Em relação à quantidade de novos casos neste período, a redução estimada pelo grupo é de 40%.
Para confirmar se o caso de Jena pode ser projetado a outras cidades de maior ou menor porte, os cientistas avaliaram as estatísticas de todos os municípios alemães que adotaram a obrigatoriedade de máscaras antes do dia 27 de abril, criando também para eles cidades "sintéticas", de forma a estimar se haveria, ou não, aumento significativo das infecções.
Os resultados coletados pelos cientistas mostraram uma redução do número de novos casos em três cidades e um distrito da Alemanha que adotaram a medida no dia 22 de abril. O período analisado para estas regiões foi de dez dias após a determinação.
"Em suma, a introdução da obrigatoriedade do uso de máscaras conteve a disseminação da Covid-19 na Alemanha. Este resultado concorda com as descobertas de epidemiologistas e virologistas que explicam que as proteções faciais limitam a circulação de ar ao falar, reduzindo, assim, a transmissão de doenças infecciosas", concluem os cientistas.
Agência Estado
Comentários CORRIGIR TEXTO