Porto Alegre, quinta-feira, 25 de junho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 25 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

SAÚDE

25/06/2020 - 17h25min. Alterada em 25/06 às 17h28min

Rio Grande do Sul já ampliou em 70% os leitos de UTI para atender demanda da Covid-19

Leitos de UTI adulto para atendimento de pacientes do SUS devem chegar a 1,9 mil até agosto

Leitos de UTI adulto para atendimento de pacientes do SUS devem chegar a 1,9 mil até agosto


HOSPITAL TACCHINI/DIVULGAÇÃO/CIDADES
Fernanda Crancio
Desde o início na disseminação da Covid-19 no Rio Grande do Sul, o governo gaúcho ampliou em 70% a estrutura de leitos de Unidade de Tratamento Intensiva (UTIs) no Estado, o que resultou na habilitação de 624 novos leitos do SUS para pacientes adultos. Atualmente, a rede de saúde estadual conta com 1590 leitos e projeta chegar a 1,9 mil até o mês de agosto.
Desde o início na disseminação da Covid-19 no Rio Grande do Sul, o governo gaúcho ampliou em 70% a estrutura de leitos de Unidade de Tratamento Intensiva (UTIs) no Estado, o que resultou na habilitação de 624 novos leitos do SUS para pacientes adultos. Atualmente, a rede de saúde estadual conta com 1590 leitos e projeta chegar a 1,9 mil até o mês de agosto.
Segundo o governador Eduardo Leite, os números mostram os esforços que vêm sendo feitos para preparar o Estado para o atendimento a pacientes suspeitos ou confirmados com a Covid-19 nos últimos três meses. Leite refutou as críticas que vêm recebendo sobre a falta de investimentos na rede hospitalar e disse que se não tivesse buscado a estruturação dos leitos, a ocupação - hoje em 70,8%-, poderia chega próxima da capacidade total. "O governo se organizou, usou esse período para estruturar o sistema hospitalar, não apenas de debruçou sobre o distanciamento controlado, mas à política de enfrentamento ao coronavírus. Se não tivesse feito esse incremento de leitos, já estaríamos beirando 100% de ocupação dos leitos de UTI no Estado", disse.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/06/25/206x137/1_leitos-9084193.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5ef5058daf920', 'cd_midia':9084193, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/06/25/leitos-9084193.jpg', 'ds_midia': 'Gráfico dos leitos de UTI no RS', 'ds_midia_credi': 'REPRODUÇÃO/JC', 'ds_midia_titlo': 'Gráfico dos leitos de UTI no RS', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '428', 'align': 'Left'}
Leitos de UTI adulto subiram de 933, em março, para cerca de 1,6 mil em junho. Foto: Reprodução/Palácio Piratini
Antes da pandemia, o Rio Grande do Sul contava com 933 leitos de UTI adulto. Dos 624 já habilitados desde março, apenas 33 ainda aguardam liberação do Ministério da Saúde para começarem a operar. Outros 21 leitos já foram solicitados pela Secretaria Estadual da Saúde (SES) ao governo federal, segundo informou a secretária Arita Bergmann, totalizando 54 pedidos de habilitação em junho.
Apesar desse incremento na estrutura hospitalar, o governador alertou que se a disseminação do vírus acelerar ainda mais, não será possível manter a garantia do atendimento. Por isso, enfatizou a necessidade de os gaúchos manterem o distanciamento social e o respeito aos protocolos e regras referentes às bandeiras impostas em cada região. "Ampliamos a disponibilidade de leitos, mas se houver uma velocidade maior da disseminação, com observamos na Região Metropolitana, não tem estrutura suficiente", ressaltou Leite.
Comentários