Porto Alegre, sexta-feira, 19 de junho de 2020.
Dia do Cinema Brasileiro.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 19 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 19/06/2020. Alterada em 18/06 às 21h23min

Porto Alegre tem três hospitais com 100% das UTIs ocupadas

Hospital Restinga estava com seus dez leitos ocupados

Hospital Restinga estava com seus dez leitos ocupados


CLAITON DORNELLES/JC
Juliano Tatsch
A escalada da pandemia do novo coronavírus em Porto Alegre tem preocupado as autoridades da cidade e fizeram o prefeito Nelson Marchezan Júnior, inclusive, a cogitar a possibilidade de que seja necessário fazer um fechamento total do município (lockdown, em inglês) para brecar a propagação da doença. Nesta quinta-feira, três hospitais da Capital estavam com lotação máxima em suas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs).
A escalada da pandemia do novo coronavírus em Porto Alegre tem preocupado as autoridades da cidade e fizeram o prefeito Nelson Marchezan Júnior, inclusive, a cogitar a possibilidade de que seja necessário fazer um fechamento total do município (lockdown, em inglês) para brecar a propagação da doença. Nesta quinta-feira, três hospitais da Capital estavam com lotação máxima em suas Unidades de Tratamento Intensivo (UTIs).
Os hospitais Cristo Redentor (29 pacientes em 29 leitos), Independência (10 pacientes em 10 leitos) e Restinga (10 pacientes em 10 leitos), estavam com ocupação de 100% nas unidades para pacientes graves.
Após reunião com a equipe da Secretaria Municipal da Saúde (SMS), pesquisadores da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (Ufrgs) e do Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA), na quarta-feira, o prefeito alertou sobre a situação da rede de saúde de Porto Alegre e sobre a necessidade de se manterem os cuidados. "Segundo os profissionais, o risco de colapso da rede de saúde da cidade é real e o momento é de avançar nas restrições para evitar que falte atendimento adequado à população. Não vamos aceitar que pessoas venham a falecer por falta de leitos de UTI", disse Marchezan no Twitter.
A ocupação geral dos leitos intensivos na cidade na noite desta quinta-feira era de 81%, com 501 pacientes em 618 leitos. Eram 77 pessoas internadas com diagnóstico confirmado para Covid-19 e outras 25 pessoas com suspeita da doença.
Comentários