Porto Alegre, quinta-feira, 18 de junho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 18 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

transportes

Alterada em 18/06 às 09h19min

Rodoviários de Porto Alegre protestam contra redução de salários e demissões

Motoristas e cobradores de ônibus se reuniram em frente a garagem da empresa Sudeste

Motoristas e cobradores de ônibus se reuniram em frente a garagem da empresa Sudeste


RUBENS SERNA/STETPOA/DIVULGAÇÃO/JC
Trabalhadores do transporte público de Porto Alegre voltaram a se mobilizar na manhã desta quinta-feira (18) contra perdas da categoria. Motoristas e cobradores de ônibus se reuniram em frente a garagem da empresa Sudeste para protestar ainda nas primeiras horas da manhã. Não houve bloqueio da saída dos coletivos.
Trabalhadores do transporte público de Porto Alegre voltaram a se mobilizar na manhã desta quinta-feira (18) contra perdas da categoria. Motoristas e cobradores de ônibus se reuniram em frente a garagem da empresa Sudeste para protestar ainda nas primeiras horas da manhã. Não houve bloqueio da saída dos coletivos.
Segundo o Sindicato dos Rodoviários de Porto Alegre, a categoria protesta pela manutenção de benefícios e contra reduções salariais e aumento de demissões. Os trabalhadores discutem uma possível paralisação das atividades na próxima semana, "já que inexistem ações por parte do empresariado e do governo Marchezan para combater os reflexos ocasionador pelo momento de pandemia na cidade", alegam.
O setor de transportes é um dos mais atingidos na Capital devido à queda no número de passageiros em meio às restrições contra o avanço do novo coronavírus.
Na terça-feira, a Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) comunicou pedido para ampliar número de passageiros transportados em pé em Porto Alegre. A entidade alega que já acumula R$ 42 milhões em dívidas desde o início da pandemia.
Comentários