Porto Alegre, sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Dia do Trânsito.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sexta-feira, 25 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Saúde

- Publicada em 20h57min, 14/06/2020.

Hospital de Clínicas inicia pesquisa com plasma sanguíneo

Componente do sangue de infectados poderá ajudar na recuperação de novos casos

Componente do sangue de infectados poderá ajudar na recuperação de novos casos


ALEX EDELMAN/AFP/JC
O Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) deu início à pesquisa que utiliza o plasma do sangue de pacientes curados da Covid-19 para combater o novo coronavírus. O hospital obteve autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa para começar o estudo no final de maio, mas a captação de recursos ainda era um obstáculo.
O Hospital de Clínicas de Porto Alegre (HCPA) deu início à pesquisa que utiliza o plasma do sangue de pacientes curados da Covid-19 para combater o novo coronavírus. O hospital obteve autorização da Comissão Nacional de Ética em Pesquisa para começar o estudo no final de maio, mas a captação de recursos ainda era um obstáculo.
"Recebemos a doação da quantia necessária para o financiamento do projeto do Instituto Cultural Floresta, assim garantindo o fomento desta pesquisa no HCPA", confirma o coordenador do estudo e chefe do Serviço de Hemoterapia, Leo Sekine.
Sekine ressalta que a pesquisa está em fase de estruturação, com encaminhamento de cotações, compras de insumos e treinamento de equipes. A primeira etapa será voltada para a coleta e o armazenamento de plasma convalescente. Ao mesmo tempo, acontece a transfusão do plasma sanguíneo em pacientes acometidos pela doença. O recrutamento de doadores já se iniciou. Quem está curado da Covid-19 e tem interesse em participar pode entrar em contato pelo e-mail [email protected]
Para realizar a terapia com plasma, é necessário fazer uma transfusão de plasma do paciente curado para o infectado. A expectativa é de que os anticorpos produzidos por quem já contraiu o vírus ajudem os doentes mais graves a reagirem mais rapidamente à Covid-19. Os doadores para esse tipo de tratamento devem atender aos critérios preconizados em legislação para doação de sangue, além de estarem, há mais de 14 dias, assintomáticos para a doença e apresentarem um exame PCR swab nasal negativo.
O plasma sanguíneo é formado principalmente por água, sais, proteínas e anticorpos. A principal hipótese é de que isso ajude a reduzir os sintomas da infecção e a carga viral no organismo.
Comentários CORRIGIR TEXTO