Porto Alegre, quinta-feira, 04 de junho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quinta-feira, 04 de junho de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Trânsito

Notícia da edição impressa de 04/06/2020. Alterada em 03/06 às 20h51min

Número de mortes no trânsito cai durante o isolamento social no RS

Com bem menos circulação de veículos em março e abril, fatalidades chegaram a mínima histórica

Com bem menos circulação de veículos em março e abril, fatalidades chegaram a mínima histórica


JONATHAN HECKLER/JC
Gabriela Porto Alegre
As medidas de isolamento e distanciamento controlado adotadas para combater o novo coronavírus têm conseguido estabilizar a disseminação do vírus. Mas não apenas isso. Com as ruas com bem menos trânsito nos meses de março e abril, o período de quarentena também contribuiu para a redução no número de óbitos no trânsito no Rio Grande do Sul.
As medidas de isolamento e distanciamento controlado adotadas para combater o novo coronavírus têm conseguido estabilizar a disseminação do vírus. Mas não apenas isso. Com as ruas com bem menos trânsito nos meses de março e abril, o período de quarentena também contribuiu para a redução no número de óbitos no trânsito no Rio Grande do Sul.
Em um comparativo entre o meses de abril de 2019 e 2020, foram registradas 135 mortes no ano passado contra 87 no mês este ano, redução de 35,5% nos óbitos. Os dados parciais constam no Diagnóstico da Acidentalidade Fatal no Trânsito, do Departamento Estadual de Trânsito do Rio Grande do Sul (Detran-RS), divulgado ontem.
De acordo com Detran-RS, essa é a segunda vez em série histórica em que os óbitos mensais em acidentes de trânsito ficam abaixo de 100 no Estado. O último registro desta natureza aconteceu em outubro de 2015, quando foram registradas 98 mortes.
No comparativo entre os primeiros quatro meses de 2019, em que foram contabilizados 529 óbitos, com o primeiro quadrimestre de 2020, em que foram registradas 443 mortes, houve uma redução de 16,2%. Março e abril deste ano registraram as reduções mais acentuadas, muito por conta das políticas de isolamento social que se intensificaram em virtude do novo coronavírus. De 142 óbitos registrados em março de 2019, o número passou para 110 em 2020. 
Neste ano, dos 443 registros de mortes no trânsito até o momento, 60,3% foram em rodovias, 15,1% em ruas, 13,6% em avenidas, e 9,5% em estradas. No relativo aos tipos de vias, as estaduais corresponderam a 36,3%, as federais a 23,8% e as municipais 39,2%.
Os acidentes fatais aconteceram mais às sextas-feiras, sábados e domingos, totalizando 55% do total de registros. O turno da noite foi o mais violento no trânsito, concentrando 35,3% das ocorrências, seguido pela tarde (29,4%), manhã (18,2%) e madrugada (15,3%).
Comentários