Porto Alegre, sábado, 16 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 16 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

educação

16/05/2020 - 14h49min. Alterada em 16/05 às 15h33min

Professores do Colégio Americano voltam a paralisar atividades na segunda-feira

Funcionários reclamam de demissões, advertências sem justificativa e atrasos salariais

Funcionários reclamam de demissões, advertências sem justificativa e atrasos salariais


LUIZA PRADO/JC
Os professores do Colégio Americano de Porto Alegre vão paralisar as atividades a partir de segunda-feira (18). Os funcionários reclamam de demissões, advertências sem justificativa e atrasos salariais.
Os professores do Colégio Americano de Porto Alegre vão paralisar as atividades a partir de segunda-feira (18). Os funcionários reclamam de demissões, advertências sem justificativa e atrasos salariais.
A decisão foi aprovada em assembleia na última quinta-feira (14). É pelo menos a quarta vez em um ano que a categoria se mobiliza contra atrasos salariais. No ano passado, os docentes já haviam paralisado em junho e outubro. No início deste ano, a categoria decidiu por voltar às aulas, em fevereiro.
Os alunos do Americano estão tendo aulas e atividades on-line durante a pandemia do novo coronavírus
Segundo o Sindicato dos Professores do Ensino Privado (Sinpro/RS), dois professores foram demitidos e sete receberam advertência da instituição na última semana. Além disso, os funcionários ainda não receberam o salário de dezembro, o 13° e o terço constitucional de férias. Também estaria pendente a metade do salário de abril.
O sindicato diz que o parcelamento dos atrasos começaria a ser pago em maio, mas foi transferido para agosto.
O Jornal do Comércio tenta contato com a Rede Metodista, mantenedora do colégio.
Comentários