Porto Alegre, quarta-feira, 13 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 13 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 13/05/2020. Alterada em 12/05 às 21h17min

Coronavírus: Brasil tem 881 mortes em 24h e bate novo recorde

Rio Grande do Sul já contabiliza 11 óbitos pela doença

Rio Grande do Sul já contabiliza 11 óbitos pela doença


NATIONAL INSTITUTES OF HEALTH/AFP/JC
A tragédia do novo coronavírus ganha força no Brasil. Somente nas 24 horas entre segunda e terça-feira, o Ministério da Saúde registrou 881 novas mortes causadas pela doença - novo recorde de óbitos confirmados de um dia para o outro. Ao todo, 12,4 mil brasileiros perderam a vida em consequência da Covid-19. O recorde anterior era de 751 novas mortes, no dia 8 de maio.
A tragédia do novo coronavírus ganha força no Brasil. Somente nas 24 horas entre segunda e terça-feira, o Ministério da Saúde registrou 881 novas mortes causadas pela doença - novo recorde de óbitos confirmados de um dia para o outro. Ao todo, 12,4 mil brasileiros perderam a vida em consequência da Covid-19. O recorde anterior era de 751 novas mortes, no dia 8 de maio.
Na segunda-feira, foram registradas 396 novas mortes por Covid-19, um número menor do que nos dias anteriores, mas o próprio ministério aponta que uma redução é esperada aos fins de semana porque as equipes de saúde nos estados e municípios atuam em número menor.
O País também registrou 9.258 novos casos confirmados de Covid-19 e tem, ao todo, 177.589 ocorrências da doença. Segundo especialistas, os números reais devem ser maiores, já que há baixa oferta de testes no País e subnotificação.
{'nm_midia_inter_thumb1':'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/05/12/206x137/1_evolucao_brasil-9055163.jpg', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5ebb3c3212763', 'cd_midia':9055163, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/jpg/2020/05/12/evolucao_brasil-9055163.jpg', 'ds_midia': 'Evolução da Covid-19 no Brasil', 'ds_midia_credi': 'Arte/JC', 'ds_midia_titlo': 'Evolução da Covid-19 no Brasil', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '800', 'cd_midia_h': '651', 'align': 'Left'}
No Rio Grande do Sul, foram confirmados seis novas mortes nesta terça-feira. Tratam-se de moradores de Mato Castelhano (homem, 61 anos), Passo Fundo (mulher de 89 anos e homem de 90 anos), Porto Alegre (homem, 92 anos), Santa Cruz do Sul (mulher, 67 anos) e Vila Maria (homem, 70 anos).
Com isso, o total de vítimas fatais no Estado chegou a 111. São 2.917 casos confirmados da doença registrados em 205 municípios gaúchos. Com as duas mortes de ontem, Passo Fundo ultrapassou Porto Alegre e, agora, é a cidade com mais óbitos no Estado - 20. A letalidade do vírus na cidade do Noroeste é de 7,2%. No Estado, é de 3,8%.
Comentários