Porto Alegre, quarta-feira, 13 de maio de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 13 de maio de 2020.
Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

CORRIGIR

Saúde

Notícia da edição impressa de 13/05/2020. Alterada em 12/05 às 20h54min

Levantamento aponta morte de 98 profissionais de enfermagem por Covid-19 em um mês

São Paulo e Rio de Janeiro lideram o ranking de óbitos no Brasil

São Paulo e Rio de Janeiro lideram o ranking de óbitos no Brasil


MAURO PIMENTEL/AFP/JC
Um levantamento do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) revela que, entre 5 de abril e 5 de maio, o número de enfermeiros afastados do trabalho pelo novo coronavírus aumentou 48 vezes, saltando de 230 para 11 mil os casos suspeitos e confirmados. O relatório aponta que as mortes triplicaram no período, passando de 30 para 98 em um mês. Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro lideram o ranking.
Um levantamento do Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) revela que, entre 5 de abril e 5 de maio, o número de enfermeiros afastados do trabalho pelo novo coronavírus aumentou 48 vezes, saltando de 230 para 11 mil os casos suspeitos e confirmados. O relatório aponta que as mortes triplicaram no período, passando de 30 para 98 em um mês. Os estados de São Paulo e Rio de Janeiro lideram o ranking.
Somente até o último domingo, o Cofen contabilizava 12 mil afastados. Entre o perfil dos profissionais infectados pela Covid-19, 10 mil correspondem ao sexo feminino, sendo que das 98 mortes notificadas, 60 foram de mulheres.
Entre as vítimas, 25 eram enfermeiros, 56 técnicos e 17 auxiliares de enfermagem. De acordo com o levantamento, o número de profissionais com casos confirmados da doença já chega a 3 mil.
Comentários