Porto Alegre, sábado, 26 de setembro de 2020.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 26 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Transporte

- Publicada em 20h07min, 09/03/2020. Atualizada em 08h43min, 10/03/2020.

Com passagem a R$ 5,05, custo do transporte crescerá em Porto Alegre

Novo valor consolida Porto Alegre como a capital com a maior tarifa de ônibus do País

Novo valor consolida Porto Alegre como a capital com a maior tarifa de ônibus do País


CLAITON DORNELLES/JC
Juliano Tatsch
As empresas pediram R$ 5,20, a prefeitura de Porto Alegre se mexeu, anunciou projetos, admitiu que o preço da tarifa de ônibus está alto demais e sinalizou com a possibilidade de uma passagem a R$ 2,00, mas o porto-alegrense irá pagar R$ 5,05 para andar de ônibus na cidade. A votação no Conselho Municipal de Transporte Urbano (Comtu), na sexta-feira, é só uma formalidade para avalizar o valor proposto pelo Executivo Municipal. Desde que foi criado, em 1994, nunca o Comtu negou um pedido de aumento da passagem feito pela prefeitura.
As empresas pediram R$ 5,20, a prefeitura de Porto Alegre se mexeu, anunciou projetos, admitiu que o preço da tarifa de ônibus está alto demais e sinalizou com a possibilidade de uma passagem a R$ 2,00, mas o porto-alegrense irá pagar R$ 5,05 para andar de ônibus na cidade. A votação no Conselho Municipal de Transporte Urbano (Comtu), na sexta-feira, é só uma formalidade para avalizar o valor proposto pelo Executivo Municipal. Desde que foi criado, em 1994, nunca o Comtu negou um pedido de aumento da passagem feito pela prefeitura.
Ainda que sob a justificativa de que é essencial para manter o equilíbrio econômico-financeiro do sistema de ônibus, o aumento na quantia paga pelos usuários impacta diretamente na vida das pessoas. O Instituto de Políticas de Transporte e Desenvolvimento (ITDP) utiliza um cálculo (tarifa do transporte multiplicada por 50 viagens mensais dividido pelo salário-mínimo do mês) para apontar o comprometimento da renda de um salário-mínimo com o transporte público. Confirmando-se o novo valor, um trabalhador porto-alegrense irá gastar 24,3% de um salário-mínimo (R$ 1.039,00) para se deslocar de casa para o emprego. Ou seja, quase um quarto da renda mensal (R$ 252,50) destinado apenas para ir trabalhar. Em 2017, o percentual era de 20% e, no ano passado, de 23,5%.
Isso se ele fizer uma viagem para ir e uma para retornar em 25 dias do mês. Se precisar pegar quatro ônibus diariamente, o custo salta para R$ 505,00, representando 48,6% do total de um salário-mínimo.
O aumento também impacta diretamente o empresário, na medida em que ele pode descontar, no máximo, 6% do salário do funcionário para destinar ao vale-transporte. O restante que falta para completar o valor sai do bolso do empregador.
Estudantes que têm direito ao meio passe pagam hoje R$ 2,35 por passagem, ou R$ 117,50 por 50 passes recarregados no cartão TRI. Com o reajuste, esse mesmo estudante irá pagar R$ 2,52 por viagem e o total das 50 passagens irá para R$ 126,00. Para quem compra 75 passes mensais, o valor pago passará de R$ 176,25 para 189,00.
Atualmente custando R$ 4,70, a tarifa de ônibus de Porto Alegre já é a mais cara entre as capitais do Brasil. Com o aumento para R$ 5,05, a Capital consolida a incômoda colocação no topo do ranking. A prefeitura utiliza o alto valor como forma de pressão para que os vereadores aprovem o pacote de projetos encaminhados à Câmara de Vereadores em janeiro. "Se os projetos enviados pelo Executivo à Câmara não forem aprovados, Porto Alegre seguirá com a passagem de ônibus mais cara entre as capitais brasileiras", diz o Executivo municipal em nota. Conforme o governo, se os projetos forem aprovados, a tarifa em 2020 será de R$ 3,70.
Comentários CORRIGIR TEXTO