Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 05 de fevereiro de 2020.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Infraestrutura

05/02/2020 - 19h29min. Alterada em 05/02 às 19h32min

Trincheira da Ceará, herança da Copa de 2014, deve ser liberada em 4 de março

Obras civis estavam prontas, mas a entrega dependia da conclusão das casas de bombas

Obras civis estavam prontas, mas a entrega dependia da conclusão das casas de bombas


LUIZA PRADO/JC
Depois de sete anos, motoristas de Porto Alegre devem conseguir trafegar nos dois sentidos da famosa trincheira da Ceará, localizada na saída da Capital gaúcha, próximo ao Aeroporto Internacional Salgado Filho. A obra é herança do pacote de mobilidade para a Copa do Mundo de 2014. O acesso conecta a chegada a Porto Alegre com a Terceira Perimetral.
Depois de sete anos, motoristas de Porto Alegre devem conseguir trafegar nos dois sentidos da famosa trincheira da Ceará, localizada na saída da Capital gaúcha, próximo ao Aeroporto Internacional Salgado Filho. A obra é herança do pacote de mobilidade para a Copa do Mundo de 2014. O acesso conecta a chegada a Porto Alegre com a Terceira Perimetral.
O prefeito de Porto Alegre, Nelson Marchezan Júnior, vistoriou o local nesta quarta-feira (5) e verificou a instalação da casa de bombas, que foi um dos itens da execução que atrasou a entrega. O equipamento evita alagamentos. 
O Consórcio Farrapos, responsável pela obra, garante que os painéis de controle (sem os quais a operação não é viável) da casa de bombas serão entregues e instalados em até 20 dias. A previsão é que a trincheira estará aberta à população em 4 de março, data de encerramento do contrato da obra.
Ao todo, são três bombas, duas com capacidade de 88 litros por segundo e outra de 45 litros por segundo, que servem para coletar água de infiltração interna e água da chuva. A obra começou em janeiro de 2013. Em 2019, houve adiamento na entrega. No começo do ano, o município previa para outubro
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia