Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, sexta-feira, 31 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

saúde

31/01/2020 - 19h32min. Alterada em 31/01 às 20h23min

Coronavírus: Atualização de casos suspeitos no Rio Grande do Sul

Nos países com registro da doença, equipes de vigilância monitoram a população

Nos países com registro da doença, equipes de vigilância monitoram a população


JUNI KRISWANTO/AFP/JC
O Rio Grande do Sul termina a semana com dois registros de suspeita de casos de coronavírus em investigação. Segundo a atualização da Secretaria de Saúde do Estado na tarde desta sexta-feira (31), houve uma nova notificação, desta vez de uma mulher de 60 anos residente em Canoas. Ela esteve em Hong Kong e Macau, regiões autônomas ligadas à China, recentemente.
O Rio Grande do Sul termina a semana com dois registros de suspeita de casos de coronavírus em investigação. Segundo a atualização da Secretaria de Saúde do Estado na tarde desta sexta-feira (31), houve uma nova notificação, desta vez de uma mulher de 60 anos residente em Canoas. Ela esteve em Hong Kong e Macau, regiões autônomas ligadas à China, recentemente.
O outro caso que permanece em investigação é o de Novo Hamburgo. Um homem que mora em Hong Kong veio em viagem para a cidade gaúcha. Segundo a nota da secretaria, nenhum dos dois apresenta gravidade nos sintomas. Os pacientes estão isolamento domiciliar.
Outros casos reportados em Dois irmãos, São Leopoldo, Montenegro, Pelotas e Gravataí foram excluídos, pois não atenderam aos requisitos de sintomas para serem considerados suspeitos. Para ser enquadrada como suspeita, a pessoa tem de apresentar febre, sintomas respiratório, como tosse ou dificuldade de respirar, e ter estado na China ou entrado em contato com alguém que tenha suspeita de coronavírus ou confirmação da doença nos últimos 14 dias antes do aparacimento de sintomas. O vírus pode ficar incubado por duas semanas.
O Ministério da Saúde informou também nesta sexta-feira que o número de casos considerados suspeitos de coronavírus subiu para 12 no Brasil. Nas últimas 24 horas, houve um aumento de seis novos casos em investigação, enquanto outras três suspeitas foram completamente descartadas.
Para se atualizar sobre o panorama mundial e no Brasil, além de como prevenir e o que é a doença, acesse o serviço completo preparado pelo Jornal do Comércio.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia