Porto Alegre, quarta-feira, 22 de julho de 2020.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
quarta-feira, 22 de julho de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

saúde

- Publicada em 19h16min, 30/01/2020. Atualizada em 20h01min, 30/01/2020.

Rio Grande do Sul investiga suspeitas de coronavírus em Gravataí e Novo Hamburgo

Materiais dos dois casos já estão sob análise no Laboratório Central do Estado

Materiais dos dois casos já estão sob análise no Laboratório Central do Estado


MARIJAN MURAT/DPA/AFP/JC
O Rio Grande do Sul tem dois casos de suspeita de coronavírus em investigação. São moradores de Novo Hamburgo e Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Quatro outras notificações já foram descartadas ou excluídas, que eram de duas pessoas em São Leopoldo e outras duas em Dois Irmãos.
O Rio Grande do Sul tem dois casos de suspeita de coronavírus em investigação. São moradores de Novo Hamburgo e Gravataí, na Região Metropolitana de Porto Alegre. Quatro outras notificações já foram descartadas ou excluídas, que eram de duas pessoas em São Leopoldo e outras duas em Dois Irmãos.
Segundo a Secretaria de Saúde do Estado, o caso de Novo Hamburgo se refere a um homem de 54 anos que reside em Hong Kong. O de Gravataí é de uma mulher de 27 anos que esteve na China em viagem. Os dois estão em isolamento domiciliar, após apresentarem sintomas de febre e dificuldade respiratória, que estão entre os identificados com o coronavírus.
Materiais coletados dos dois casos já estão sob análise no Laboratório Central do Estado (Lacen). Amostras de secreção respiratória também foram encaminhadas para o laboratório de referência para análise do coronavírus, a Fiocruz, no Rio de Janeiro. 
O Brasil já tem nove casos de suspeita em investigação. Desde a primeira notificação, outros 33 casos foram descartados. Nesta quinta-feira (30), a disseminação dos casos de coronavírus passou a ser considerada como emergência internacional de saúde pública de importância global pela Organização Mundial de Saúde (OMS).
Comentários CORRIGIR TEXTO