Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, domingo, 26 de janeiro de 2020.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Clima

26/01/2020 - 11h50min. Alterada em 26/01 às 12h10min

Enchentes e deslizamentos provocam 38 mortes em Minas Gerais

Deslizamento de terra na comunidade de Vila Bernardete, em BH, matou pelo menos três pessoas

Deslizamento de terra na comunidade de Vila Bernardete, em BH, matou pelo menos três pessoas


DOUGLAS MAGNO/AFP/JC
Trinta e oito pessoas morreram em razão das enchentes e dos deslizamentos provocados por chuvas fortes que ocorrem em Minas Gerais principalmente desde a quarta-feira (22). Ao todo, 17 pessoas estão desaparecidas e 12 feridas no estado. As informações são do mais recente boletim da Defesa Civil do estado.
Trinta e oito pessoas morreram em razão das enchentes e dos deslizamentos provocados por chuvas fortes que ocorrem em Minas Gerais principalmente desde a quarta-feira (22). Ao todo, 17 pessoas estão desaparecidas e 12 feridas no estado. As informações são do mais recente boletim da Defesa Civil do estado.
O governo mineiro decretou estado de emergência em 47 municípios. O maior número de mortos é em Belo Horizonte, oito no total. O Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil de Minas Gerais mantém as buscas na comunidade de Vila Bernadete, região do Barreiro, na capital, onde uma pessoa ainda está desaparecida. Na manhã deste domingo (26) foram localizados os corpos de uma criança e de um casal de adultos.
Segundo o boletim, 9.607 pessoas tiveram que deixar suas casas emergencialmente (desalojadas) e 1.823 perderam a moradia. O governo estima que mais de 11,4 mil pessoas foram atingidas de alguma forma pelas chuvas fortes. 
Neste domingo (26), a chuva deu uma trégua, o que possibilita o avanço do resgate. O trabalho é feito em uma área de declive onde houve desabamento de casas. Por causa das chuvas, o solo ficou encharcado e abalou a fixação das casas no terreno. Ainda há risco de novos desabamentos. O deslizamento de encostas foi a principal solicitação de atendimento à Defesa de Civil desde quinta-feira.
Agência Brasil
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia