Porto Alegre, sábado, 26 de setembro de 2020.
Dia Nacional dos Surdos.

Jornal do Comércio

Porto Alegre,
sábado, 26 de setembro de 2020.
Corrigir texto

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Urbanismo

- Publicada em 20h32min, 20/01/2020. Atualizada em 13h15min, 05/02/2020.

Obras no trecho 3 da orla do Guaíba estão avançadas

Com condições climáticas favoráveis, cerca de 65% dos serviços de canteiros de obras já foram executados

Com condições climáticas favoráveis, cerca de 65% dos serviços de canteiros de obras já foram executados


/MARCO QUINTANA/JC
Gabriela Porto Alegre
Quem passa pelo trecho 3 da Orla do Guaíba, entre o arroio Dilúvio, próximo ao Anfiteatro Pôr-do-Sol, e o Parque Gigante, em Porto Alegre, já nota diferenças no cenário urbano. O motivo é que, desde outubro, o consórcio ACA/RGS, vencedor da licitação para revitalização do espaço, vêm promovendo uma série de intervenções no local.
Quem passa pelo trecho 3 da Orla do Guaíba, entre o arroio Dilúvio, próximo ao Anfiteatro Pôr-do-Sol, e o Parque Gigante, em Porto Alegre, já nota diferenças no cenário urbano. O motivo é que, desde outubro, o consórcio ACA/RGS, vencedor da licitação para revitalização do espaço, vêm promovendo uma série de intervenções no local.
De lá para cá, com condições climáticas favoráveis, somadas ao horário estendido de serviço das equipes de trabalho, as obras de revitalização do trecho já estão bastante avançadas. Atualmente, cerca de 65% dos serviços de canteiros de obras já foram executados, e os de terraplanagem e contenção em gabiões já ultrapassam 50%. A revitalização do espaço está orçada em R$ 46 milhões. 
Assim como o trecho 1, entregue em 2018, o trecho 3 também é de autoria do arquiteto Jaime Lerner. A área de intervenção, de cerca de 14,6 hectares, prevê aproximadamente 200 vagas de estacionamento no canteiro central da avenida Edvaldo Pereira Paiva, mais de 550 árvores dos tipos cedros, figueira, jerivá, cerejeira e coronilha, três estruturas de bares idênticas às já em funcionamento no trecho 1, quadras para prática esportiva, vestiários e a maior pista de skate da América Latina, certificada pela Confederação Brasileira de Skate e pelo Comitê Olímpico Brasileiro.
Entre as obras já em andamento, além da terraplanagem e da contenção de gabiões, estão a execução da rede de drenagem pluvial e as intervenções necessárias para a construção da pista de skate. Para os próximos dias, estão previstos o começo da pavimentação do futuro estacionamento e as fundações das edificações. O trecho, que compreende 1,6 mil metros, conta com um efetivo de 95 operários, que realizam os trabalhos com o auxílio de nove máquinas e 40 caminhões.
Conforme a Secretaria Municipal de Infraestrutura e Mobilidade Urbana (Smim), o cronograma das obras está dentro do planejado, uma vez que a partir da assinatura do contrato, em outubro passado, a concessionária têm 12 meses para a concluir o trecho. A expectativa da secretaria é de que se consiga aumentar ainda mais o ritmo dos trabalhos. "Por conta do horário estendido das equipes, estamos avançando rapidamente. Essa aceleração vai permitir que entreguemos a obra dentro do prazo previsto", afirmou a pasta.
A empresa responsável pela execução da obra, ACA/RS, informou que não está autorizada pela prefeitura a prestar informações sobre o andamento da revitalização do trecho 3. Os recursos para conclusão da requalificação do espaço, com término previsto para este ano, são provenientes do Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), do Fundo Municipal de Iluminação Pública e do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae).
Comentários CORRIGIR TEXTO