Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, quarta-feira, 18 de dezembro de 2019.
Dia Internacional do Migrante.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Transportes

Edição impressa de 18/12/2019. Alterada em 18/12 às 14h57min

Licitação da rodoviária de Porto Alegre deve sair no primeiro semestre de 2020

O contrato de licitação tem previsão de duração de 25 anos

O contrato de licitação tem previsão de duração de 25 anos


CLAITON DORNELLES /JC
Gabriela Porto Alegre
Depois de longos anos de espera por uma licitação que modernize a Estação Rodoviária de Porto Alegre, parece que o processo finalmente irá avançar. Isso porque a Secretaria Extraordinária de Parcerias Estratégicas do governo do Estado estima que até 23 de dezembro os documentos para o lançamento do edital estejam prontos e que, no primeiro semestre de 2020, iniciem os trâmites licitatórios do local.
Depois de longos anos de espera por uma licitação que modernize a Estação Rodoviária de Porto Alegre, parece que o processo finalmente irá avançar. Isso porque a Secretaria Extraordinária de Parcerias Estratégicas do governo do Estado estima que até 23 de dezembro os documentos para o lançamento do edital estejam prontos e que, no primeiro semestre de 2020, iniciem os trâmites licitatórios do local.
Atualmente administrada pela empresa Veppo, a rodoviária da Capital chegou a receber, no último ano, três manifestações de interesse relativas à concessão do espaço. No entanto, os projetos apresentados não preenchiam todas as especificações necessárias para que fossem transformadas em edital. Conforme o secretário de Parcerias Estratégicas, Bruno Vanuzzi, as empresas interessadas apresentaram projetos que não abordavam questões de contrapartidas urbanísticas, como solicitado pela prefeitura, além de não abordarem de forma orgânica o relacionamento com os permissionários atuais. "Esses foram os pontos que mais tomaram tempo, porque são dois aspectos importantes para que o projeto tivesse um andamento saudável", afirmou.
O contrato licitado tem previsão de duração de 25 anos, com ciclos de obras de três anos, concentrados a partir do licenciamento definitivo. A expectativa, segundo Vanuzzi, é de que, havendo licitação já em 2020, as obras iniciem em 2021 e sejam entregues até 2023. "Desde 2012, o governo do Estado vem trabalhando, analisando alternativas para uma nova contratação da rodoviária, o que não significa que esse projeto em especial esteja sendo feito desde 2012. Esse é um projeto de licitação que começou em 2018, percorreu 2019 e agora está na reta final. Então, a ideia é que a gente tenha um ganho de qualidade muito forte para as pessoas que utilizam a rodoviária", disse.
O aporte financeiro privado está estimado em R$ 76,8 milhões para a qualificação do espaço, fechamento e climatização das salas de espera, cobertura da área de embarque de táxis e cobertura da conexão com as paradas de ônibus, transferência da bilheteria para o segundo piso, reposicionamento e requalificação dos banheiros, que atualmente estão deslocados das áreas de embarque e desembarque.
Apesar de os documentos do edital ficarem pronto nos próximos dias, ainda não há uma previsão de quando o resultado do processo licitatório será divulgado nem quando a empresa vencedora deverá assumir.
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia