Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, terça-feira, 17 de dezembro de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Rio de Janeiro

17/12/2019 - 12h34min. Alterada em 17/12 às 12h34min

Greve de funcionários da saúde no Rio deve ser ampliada por falta de pagamento

A diretora do Sindicato dos Enfermeiros, Líbia Beluscci, afirmou nesta terça-feira (17) que a greve dos funcionários da saúde do Rio deve ser ampliada nas próximas horas, por conta da decisão da Prefeitura de suspender todos os pagamentos do município.
A diretora do Sindicato dos Enfermeiros, Líbia Beluscci, afirmou nesta terça-feira (17) que a greve dos funcionários da saúde do Rio deve ser ampliada nas próximas horas, por conta da decisão da Prefeitura de suspender todos os pagamentos do município.
Segundo Líbia, mesmo que o dinheiro das Organizações Sociais (OSs) seja depositado pelo TRT-RJ e alguns funcionários da saúde do município recebam, a paralisação deve ser ampliada. Atualmente, a greve abarca apenas os funcionários das OSs, num total de 22 mil pessoas.
Os hospitais que contam com servidores contratados diretamente pela Prefeitura, como Salgado Filho, Souza Aguiar e Miguel Couto, embora sobrecarregados por conta da paralisação, seguem em funcionamento.
O anúncio desta terça-feira, da Prefeitura, de suspender todos os pagamentos, pode alterar esta situação. "A greve só termina se forem feitos todos os pagamentos: outubro, novembro, 13º e benefícios", afirmou Líbia. "E os servidores também não podem ficar sem o 13º. Então, a nossa tendência é paralisar tudo."
Com essa decisão, apenas os casos muito graves continuarão sendo atendidos, o que deve agravar ainda mais a situação da saúde no município.
Estadão Conteúdo
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia