Comentar

Seu comentário está sujeito a moderação. Não serão aceitos comentários com ofensas pessoais, bem como usar o espaço para divulgar produtos, sites e serviços. Para sua segurança serão bloqueados comentários com números de telefone e e-mail.

500 caracteres restantes
Corrigir

Se você encontrou algum erro nesta notícia, por favor preencha o formulário abaixo e clique em enviar. Este formulário destina-se somente à comunicação de erros.

Porto Alegre, segunda-feira, 18 de novembro de 2019.

Jornal do Comércio

Geral

COMENTAR | CORRIGIR

Protestos

18/11/2019 - 11h13min. Alterada em 18/11 às 11h21min

Professores gaúchos começam greve contra pacote do Governo Leite

Colégios Júlio de Castilhos (foto), Florinda Tubino Sampaio e Inácio Montanha não abriram nesta segunda

Colégios Júlio de Castilhos (foto), Florinda Tubino Sampaio e Inácio Montanha não abriram nesta segunda


LUIZA PRADO/JC
Fernanda Soprana
Professores da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul dão início à greve nas escolas estaduais nesta segunda-feira (18) por tempo indeterminado. De acordo com o Cpers/Sindicato, em Porto Alegre, os colégios estaduais Florinda Tubino Sampaio, Júlio de Castilhos, Inácio Montanha e Antão de Faria não abriram nesta manhã. O sindicato não tem levantamento da situação em todo o Estado.
Professores da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul dão início à greve nas escolas estaduais nesta segunda-feira (18) por tempo indeterminado. De acordo com o Cpers/Sindicato, em Porto Alegre, os colégios estaduais Florinda Tubino Sampaio, Júlio de Castilhos, Inácio Montanha e Antão de Faria não abriram nesta manhã. O sindicato não tem levantamento da situação em todo o Estado.
{'nm_midia_inter_thumb1':'', 'id_midia_tipo':'2', 'id_tetag_galer':'', 'id_midia':'5c6f03d777ac4', 'cd_midia':8634598, 'ds_midia_link': 'https://www.jornaldocomercio.com/_midias/gif/2019/02/21/banner_whatsapp_280x50px_branco-8634598.gif', 'ds_midia': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'ds_midia_credi': 'Thiago Machado / Arte JC', 'ds_midia_titlo': 'WhatsApp Conteúdo Link', 'cd_tetag': '1', 'cd_midia_w': '280', 'cd_midia_h': '50', 'align': 'Center'}
A greve faz parte de mobilização contra os projetos do Governo Eduardo Leite enviados à Assembleia Legislativa e que alteram a carreira dos servidores. 
No Colégio Júlio de Castilhos, um dos maiores do Estado, a movimentação era baixa. Poucos alunos teriam comparecido no começo da manhã. De acordo com o comitê da paralisação da escola, a adesão à greve é de mais de 90% dos professores e conta com apoio do grêmio estudantil. Reunião na semana passada com os pais de estudantes teria indicado apoio à mobilização.
Os funcionários do Colégio Inácio Montanha, próximo do Júlio de Castilhos, na avenida João Pessoa, 2125, também pararam, após aprovarem a adesão. Segundo o comitê de greve da escola, das 32 pessoas na reunião, 28 votaram a favor, uma absteve o voto e outra votou contra. Os representantes do comitê afirmaram que o calendário de aulas será estendido.
O pacote foi apresentado na quarta-feira (13) pelo governador Eduardo Leite e tem pedido de urgência na tramitação. Na quinta-feira (14), professores protestaram contra as medidas e anunciaram a greve.
Além de ser alvo de mudanças nas carreiras, os servidores do Executivo gaúcho enfrentam parcelamento de salários há mais de 40 meses. Nesta segunda, foi depositada a primeira parcela do vencimento de outubro no valor de R$ 700,00 para quem está na faixa acima de R$ 1,7 mil. O depósito seria no dia 20 e foi antecipado. O próximo pagamento é previsto apenas para 11 de dezembro.  
COMENTAR | CORRIGIR
Comentários
Seja o primeiro a comentar esta notícia